Após ocupações, conselho da UNESP aprova Moradia Estudantil

No último dia 28, o Conselho Universitário da UNESP, órgão máximo deliberativo da instituição, aprovou uma política de assistência estudantil para a universidade. O Conselho ocorreu em Araçatuba, onde o campus não funcionou neste dia. A aprovação ocorreu após diversos focos de luta do movimento estudantil este ano, como as ocupações dos campi de Marília, Bauru e Presidente Prudente. Estudantes dessas unidades estiveram presentes na ocasião e tiveram direito à voz. Atendendo aos campi mobilizados, foram estabelecidas prioridades como moradia para Bauru e Restaurante Universitário para Marília.

O Conselho votou por unanimidade não somente a resolução da política de assistência estudantil, mas também a derrubada de um impedimento que existia desde 1999. Esta antiga resolução excluía os campi de Bauru e São Paulo (Instituto de Artes) do rol de construções de moradias. Para fazer a reversão era necessário ter dois terços dos representantes votando na proposta. E a vitória se deu por unanimidade.

Esta votação foi o resultado de uma luta radicalizada destes campi e representa a primeira vitória de uma luta que ainda vai continuar. Isto porque Marília e Bauru continuam ocupados até a aprovação do orçamento para 2004, o que seria a real garantia da construção dos blocos. A luta continua.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

  • Estudantes fazem cortejo fúnebre nos 15 anos da Unesp Bauru
    6/3/2002 23:58:00

  • Unesp não discute moradia e estudantes ocupam prédio
    6/3/2002 23:58:00

  • Estudantes ocupam Unesp de Bauru por moradia
    6/3/2002 23:58:00