Ato defende dirigentes sindicais da Conlutas perseguidos pelo Sintect-RS

Cerca de cem pessoas participaram do ato
Reprodução

Aconteceu, na noite de 10 de junho, em Porto Alegre (RS), um ato em defesa dos companheiros João Augusto de Moraes Gomes e João Carlos de Farias, o Paulista. Eles tiveram seus direitos sindicais e políticos cassados pelos governistas da direção do Sindicato de Trabalhadores em Correios do Rio Grande do Sul, com a falsa acusação de má administração. Cerca cem pessoas reuniram-se para dar e ouvir relatos, depoimentos e intervenções. O ato teve momentos de grande emoção.

A mesa foi composta por Vera Guasso, da Conlutas, Etevaldo Teixeira, do PSOL, e Geraldinho Correia, da Federação dos Trabalhadores em Correios (Fentect). No início, foi distribuído aos presentes o dossiê acompanhado de uma esclarecedora explanação. Participaram representantes de entidades sindicais e dos partidos PSTU e PSOL.

A deputada Luciana Genro fez a primeira fala. Lembrou que o afastamento dos companheiros do sindicato é parte da ação da patronal para controlar a entidade.

Os oradores ressaltaram a integridade moral dos companheiros e a necessária defesa desses. Também foi lido um manifesto de trabalhadores da região de Caxias do Sul.

Por fim, falou o Julio Flores, do PSTU. Ele disse que a tradição revolucionária dos companheiros impede-os de cometerem problemas morais como estão sendo injustamente acusados.

O ato foi abrilhantado por militantes do movimento de Correios de outros estados. Fabio, do Sindicato de Correios do Vale do Paraíba, disse que o sindicato gaúcho, quando tinha os companheiros à frente, era um exemplo de luta e resistência.

Jorge, do Sindicato dos Correios de Pernambuco, disse que os companheiros estão fazendo falta para a luta da categoria. Já Geraldinho, ao citar a luta contra a quebra do monopólio, falou que “nesse mesmo dia houve atos contra a quebra em vários estados e que certamente haveria também no Rio Grande do Sul se os companheiros estivessem no Sindicato. Porém, no Rio Grande do Sul, a categoria pouco sabe sobre a tentativa de privatização dos Correios”.

O ato encerrou com as falas de João e de Paulista em agradecimento à presença de todos. As novas ações da campanha de retomada dos direitos políticos e sindicais dos companheiros se darão com a edição de um DVD do ato e novo material de divulgação para julho, após o pronunciamento da Justiça do Trabalho em ação que questiona a legalidade da assembleia que os afastou.