Após acidente, estudantes da UFMG desembarcam em Minas

Os estudantes do ônibus que sofreu um acidente no Peru, na madrugada de terça-feira, chegaram hoje pela manhã ao aeroporto da Pampulha. Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) transportou os 33 estudantes sobreviventes, um dos motoristas do ônibus e os corpos dos quatro mortos de Arequipa até Belo Horizonte.
Permaneceram no Peru Lucas Motta Hauch, que deve passar por uma cirurgia na bacia, e mais três estudantes para acompanhá-lo.

Segundo Gabriel Huland, diretor do DCE-UFMG, a chegada dos estudantes foi tranqüila. A maioria foi encaminhada ao Hospital das Clínicas da UFMG e tiveram alta logo em seguida.

O movimento estudantil da universidade está abalado em razão da tragédia. Militantes e amigos compareceram hoje pela manhã aos sepultamentos dos corpos dos quatro estudantes mortos no acidente. O corpo de Taís Palmerston de Martino Borges, aluna de Odontologia,foi às 9h, no Cemitério da Saudade, em Uberaba. Em Belo Horizonte, aconteceram os sepultamentos dos corpos de Thiers Lage Bicalho Bretas, às 10h, no Parque da Colina; Pedro Coelho D`avila Correa, às 13h, no Bosque da Esperança, e Roberto Tadeu de Melo Barbosa, no Cemitério da Paz, às 17 horas.

O acidente ocorreu na região da Curva de la Cura, em Uchumayo, próximo a Arequipa, na terça-feira, dia 24. A estudante de jornalismo Marina Utsch declarou à assessoria de imprensa da UFMG que o ônibus não conseguiu fazer uma curva e tombou para o lado esquerdo. Uma barreira o impediu de cair num precipício.

O grupo de universitários viajava para o Fórum Social Mundial, em Caracas, na Venezuela. O DCE havia contratado o ônibus por R$ 30 mil com a empresa Labtur Turismo e Excursões. A verba havia sido liberada pela fundação que administra a assistência estudantil da universidade, e tanto a documentação como o veículo não tinham irregularidades.

O PSTU se solidariza com os familiares e amigos das vítimas e com toda a militância da UFMG.