A verdade sobre a ditadura militar

Em meio à greve dos caminhoneiros, alguns grupos estão defendendo a intervenção militar no país. Mas essas pessoas não dizem a verdade sobre o que representou a ditadura para todos os trabalhadores. Aquele foi um período de repressão e ataque aos nossos direitos. Se tivesse uma intervenção militar hoje, a primeira coisa que as Forças Armadas iriam fazer é acabar com todas as greves existentes no país, inclusive a dos caminhoneiros. Foi por isso que Temer mandou chamar o Exército para intervir na greve. Neste momento, muitas refinarias estão sob intervenção. É o Exército detonando a greve e garantindo o abastecimento de combustível.

Exército ocupa Reduc para garantir fornecimento de combustível

MENTIRA – “A ditadura promoveu crescimento econômico e desenvolveu o país”
VERDADE  – O “milagre econômico” foi resultado de um crescimento da economia em todo mundo, e não só no Brasil. Mas quando houve uma crise do capitalismo mundial, o Brasil e sua economia totalmente dependente também mergulhou nela e amargou uma profunda recessão. Quando a ditadura acabou em 1985, a inflação do país era de 200%; a dívida pública equivalente a 30% do PIB, e a dívida externa estava 20 vezes maior do que em 1970.

MENTIRA – “Na ditadura o trabalhador vivia melhor”
VERDADE –
  O ministro da Economia da ditadura, Delfim Netto, dizia que era preciso fazer o bolo crescer para depois reparti-lo. Mas o bolo cresceu e nunca foi dividido. Na verdade, houve um aumento da desigualdade social. Os 10% mais ricos que detinham 38% da renda em 1960, chegaram a ter 51% da renda em 1980. Já os mais pobres, que tinham 17% da renda nacional em 1960, caíram para 12% vinte anos depois. Mas os trabalhadores que lutavam por direitos e melhores salários eram duramente reprimidos. A ditadura combatia os sindicatos, impedia a realização de assembleia e proibia greves e manifestações.

Concentração realizada pelo Movimento contra a Carestia termina em tumulto com a prisão de 14 pessoas 27.08.1978

MENTIRA –   “Os militares combatiam a corrupção”
VERDADE –
A corrupção correu solta na ditadura e fez a festa das empreiteiras. A Odebrecht, por exemplo, em 1971, era a 19ª maior construtora do país; dois anos depois alcançava o terceiro lugar. Generais e construtoras ficaram milionários promovendo muitas obras faraônicas como a Transamazônica, Projeto Jari e a Ferrovia do Aço. O problema é que a corrupção não podia ser publicada nos jornais, pois havia censura no país. E quem ousasse desafiar os militares podia ser torturado ou morto.

MENTIRA – “O regime militar foi nacionalista”
VERDADE – 
O regime militar foi totalmente entreguista e sempre jogou a favor do capital estrangeiro e das multinacionais. O golpe de 1964 ocorreu com a ajuda dos Estados Unidos  que organizaram e até deslocaram de tropas militares para a costa brasileira. A ditadura abriu a Amazônia para a exploração das mineradoras estrangeiras, como fez no Projeto Carajás. Deu isenção de até 100% nos impostos para empresas que comprassem terras na Amazônia. A Volkswagen, por exemplo, comprou uma fazenda no Pará que abrigava trabalhadores em condição de escravidão.

Qual é a solução?
Intervenção militar só vai castigar os trabalhadores. A solução para o Brasil é uma rebelião popular e socialista. Trabalhador e o povo no poder!