‘A política econômica é o principal motivo pra não se ter reforma agrária’

Durante a marcha, o Portal conversou com Joceli Andrioli, dirigente da Via Campesina. Ele conta como foi a ocupação de ontem (23/08) no Ministério da Agricultura, e explica porque a reforma agrária está paralisada.Quais foram os principais motivos do protesto?

Ocupamos ontem o Ministério da Fazenda em protesto contra a política econômica. Porque entendemos que é a política econômica o principal motivo para não ter reforma agrária no Brasil. Hoje, são mais de 86 mil famílias que estão cadastradas no INCRA, esperando para receberem um pedaço de terra.

Também protestamos contra o endividamento dos pequenos agricultores, exigindo a abertura de crédito para a Agricultura Familiar, que hoje é responsável por 70% da produção de alimentos do país.

Qual é a sua opinião a política de reforma agrária do governo?

É uma vergonha. Até hoje não vi nenhuma política de reforma agrária, que está paralisada. O governo assenta 8 mil famílias por ano, o que é um numero muito baixo, irrisório.

Estamos também na luta contra a privatização da energia no país e a construção da usina de Belo Monte. Colocamos essa questão em pauta na nossa manifestação. Hoje são destinados 45 bilhões de reais do dinheiro público para as empresas privadas de energia. Isso tem que parar. Queremos que esse dinheiro seja destinado à reforma agrária. Daria para assentar 100 mil famílias com esses recursos.

Qual foi o resultado da manifestação?

Fomos recebidos pelo ministro do Desenvolvimento Agrário, o presidente do INCRA e pelo secretário da Presidência, Gilberto Carvalho, além do secretário do Tesouro Nacional. Apresentamos nossas reivindicações e nossas pautas e eles ficaram de nos dar uma resposta até a próxima sexta-feira (26).