Zé Maria e Parlamentares da esquerda do PT apoiam funcionalismo

A visita da senadora Heloísa Helena e dos deputados Lindberg Farias, Babá e Luciana Genro foi um dos destaques da plenária. Eles se comprometeram a estar junto dos trabalhadores e enfrentar o governo se necessário. A presença dos parlamentares foi muito aplaudida , em especial pelos seus posicionamentos contra as medidas neoliberais do governo Lula, expressando assim o sentimento dos delegados(as).
Zé Maria afirmou que “Não há solução para o país sem romper com a Alca e o FMI, sem deixar de pagar as dívidas externa e interna, mas a opção que Lula fez foi de manter o modelo neoliberal e os contratos com o FMI. Isto é que tem levado os sevidores a se mobilizarem contra o governo Lula”. Sobre a presença dos parlamentares da esquerda do PT, Zé Maria dissse ainda: “Saudamos o apoio dos companheiros da esqueda do PT à luta dos servidores. Os companheiros não devem vacilar em manter a coerência da defesa dos direitos dos trabalhadores. Se for necessário romper com o governo e votar contra suas medidas, mesmo que isso signifique ser expulsos do PT, devem fazê-lo”.

As Reivindicações

1 – Reajuste emergencial de 46,95%, equivalente às perdas salariais apenas de junho de 1998 para cá, quando entrou em vigor a Emenda Constitucional 19 e o STF reconheceu o direito dos servidores a reposição anual;

2 – Instituição de mesa de negociação e política salarial para o restante das perdas acumuladas nos governos FHC;

3 – Contra a reforma da Previdência proposta pelo governo, em especial através do PLP 9/99, construído por FHC com o FMI, e que introduz a regulamentação da Emenda Constitucional 20, implementando a Previdência complementar, o teto de benefícios e a quebra da paridade entre ativos e aposentados, entre outras, sendo hoje defendido também pelo governo Lula. Imediata retirada do projeto.

O Plano de Lutas

– Rodadas de assembléias gerais até 19 de março em todo o país para dar seqüência às deliberações da Plenária Nacional;

– Lançamento da campanha salarial com atos nos Estados em 20 de março;

– Plenárias setoriais no dia 22 e nova Plenária Nacional dos federais no dia 23 de março;

– Seminário Nacional sobre Previdência, em Brasília, no dia 25 de março;

– Realização de audiências públicas nos estados e seminários em conjunto com servidores estaduais, municipais e trabalhadores da iniciativa privada, para ampliar a campanha contra a reforma da Previdência e mostrar que todos os trabalhadores estão unidos.
Post author Rogério Marzola,
de Brasília
Publication Date