Valério Arcary faz palestra sobre Revolução Russa em Guarulhos

A palestra realizada no dia 6 de outubro de 2007 com Valério Arcary, na cidade de Guarulhos (SP), reuniu cerca de 90 pessoas no prédio antigo da Câmara Municipal. Entre os presentes, estava a juventude secundarista e universitária, professores, servidores municipais, químicos, militantes e simpatizantes do PSTU e também militantes do PSOL.

Arcary iniciou a palestra apresentando o contexto social e econômico da Rússia Tzarista e todas as organizações políticas que atuavam no país. O palestrante explicou a forma de organização que as massas criaram espontaneamente no processo revolucionário, os sovietes, que possibilitaram o “duplo poder”, ou seja, os trabalhadores criaram as próprias condições para tomar o poder.

Arcary também afirmou a importância do partido bolchevique, idealizado por Lênin, para a vitória da revolução. Sua estrutura de quadros, o trabalho legal e ilegal, o centralismo democrático que possibilitava ampla democracia interna, a disciplina que possibilitava a firmeza na ação, o papel da direção do partido e a confiança dos bolcheviques nas massas trabalhadoras foram determinantes. O partido bolchevique, por todas essas questões, pôde dirigir as massas trabalhadoras à vitória.

Foram feitas várias perguntas, entre elas a questão da juventude que não tem perspectivas no futuro. Como fazer a revolução hoje? Arcary respondeu que “há desesperanças entre as massas trabalhadoras, há crise nas famílias, famílias se desagregam, brigam por dinheiro, demonstram a crise da sociedade capitalista em que vivemos. A sociedade não pode oferecer o que deseja a juventude e temos de seguir propondo ações às massas, temos de afirmar a falta de perspectivas e nos prepararmos e preparar os trabalhadores para a revolução brasileira, os jovens serão os primeiros a se levantar.”

Ele mostrou, através de diversos exemplos, que as revoluções acontecem todos os dias e que temos de nos preparar e construir as ferramentas necessárias. A principal é o Partido revolucionário, assim como fez Lênin, para que possamos ter uma saída positiva para as massas trabalhadoras brasileiras.

No final, foram homenageados os dois companheiros mais antigos do PSTU da regional Guarulhos, Augusto Viveiros e Osvaldo Pereira, pela dedicação à construção do partido revolucionário, com o poema de Brecht: “Há homens que lutam um dia, e são bons; há homens que lutam por um ano, e são melhores; há homens que lutam por vários anos, e são muito bons; há outros que lutam durante toda a vida, esses são imprescindíveis”. A atividade foi encerrada com o hino da Internacional entoado por todos.