Unir a esquerda contra a CUT chapa branca

Mais do que nunca, é preciso construir um grande movimento a partir da base para defender a CUT das origens: de luta, de classe, democrática e socialista.
O Movimento por uma Tendência Socialista está fazendo um chamado a todas as correntes de esquerda da CUT para que seja construída a unidade da esquerda em defesa da CUT que fundamos em 1983.

Dentro do campo da esquerda existem avaliações e opiniões divergentes acerca da conjuntura e, particularmente, acerca do novo governo. No entanto, há uma ampla base de acordo sobre questões fundamentais da luta e dos desafios postos na atualidade.
A esquerda cutista, majoritariamente, posiciona-se pela ruptura das negociações da Alca e pelo Plebiscito Oficial em 2003. Também é pela ruptura com o FMI e pelo não pagamento da dívida externa. É contrária à independência do Banco Central, ao PL-9 e à proposta de reforma da Previdência. Ao contrário de Marinho, a esquerda é favorável a uma campanha salarial de emergência. A esquerda defende a democracia na CUT, é contra a flexibilização de direitos e pela derrota do projeto imperialista/capitalista que vem sendo aplicado no país.

Por tudo isso, a esquerda pode e deve apresentar-se unida na ampla maioria das resoluções, conformando um bloco e uma chapa no congresso que ofereça uma alternativa à corrente majoritária. Não há nada que justifique uma postura de divisão deste bloco. Seria um grave erro e uma derrota para os trabalhadores a dispersão e fragmentação da esquerda no Concut.

Na Apeoesp, por exemplo, a Oposição Alternativa (uma frente que une várias correntes e ativistas independentes) aprovou resoluções conjuntas. Além disso, fez um chamado à realização de uma reunião de toda esquerda da CUT para discutir a construção deste bloco. Inúmeros setores e diretorias combativas das entidades também defendem a unidade.

Podemos e devemos construir resoluções comuns e trabalhar por uma chapa unificada de toda a esquerda, no Concut, que defenda uma CUT de luta, classista, democrática e socialista

Post author Américo Gomes,
de São Paulo
Publication Date