Unesp em greve

Uma assembléia reunindo mais de 200 estudantes deliberou, nessa segunda-feira, 17 de maio, a paralisação por tempo indeterminado das atividades da Faculdade de Ciências, no câmpus da Unesp de Bauru. Os alunos decidiram entrar em greve em protesto às precárias condições de ensino encontradas atualmente na universidade. A falta de professores efetivos e laboratórios de ensino ameaçam a existência de diversos cursos, como Pedagogia e Química, que podem ser fechados.

Crise na Unesp

A Unesp vive hoje uma situação de crise sem precedentes. A Reforma da Previdência, realizada pelo governo federal no último ano, provocou uma corrida de docentes à aposentadoria. Aliado a isso, o Plano de Expansão de Vagas do reitor Trindade criou inúmeros campi sem as mínimas condições de manutenção financeira dos novos cursos. Mais, a política irresponsável e eleitoreira do reitor causou um rombo no orçamento da instituição, que se encontra completamente falida. Além da falta de professores e da estrutura precária, os alunos ainda enfrentam o corte de bolsas de extensão, prejudicando projetos que beneficiam diretamente a comunidade.

Nova assembléia

Uma nova assembléia estudantil foi marcada para esta quarta-feira, dia 19, às 19 horas no Anfiteatro Guilhermão, no campus da Unesp. A assembléia deverá contar com a presença de alunos das três faculdades que compõem o câmpus da Unesp de Bauru. Os estudantes discutirão a necessidade da paralisação dos alunos de todo o campus.