UERJ: Mais um caso de estupro acontece dentro de uma universidade

Crime teve motivação machista e homofóbica, e não há segurança nos campi

A Universidade em questão dessa vez é a UERJ, campus Maracanã, na noite do dia 11 de maio. A falta de segurança nos campi universitários hoje é uma absurda realidade. Existem casos de assaltos e até assassinatos. Mas esse caso é muito grave, pois segundo a denúncia foi um estupro corretivo, ou seja, um caso com motivação machista e homofobia.

O caso aconteceu durante uma festa que ocorria no campus. Segundo informações, a vítima estaria acompanhada de uma menina na festa. Quando se afastou para fazer xixi, foi abordada por um homem que lhe disse que iria ensiná-la a gostar de homens.

A violência contra a mulher é a face mais brutal do machismo dentro do capitalismo e o estupro corretivo é uma representação clara de machismo e homofobia. Baseia-se no pressuposto de que é possível curar ou reverter à homossexualidade feminina através deste tipo de punição.

Chamamos a todos os ativistas da UERJ e do movimento popular e sindical a tomarmos como prática cotidiana a denúncia e a luta contra toda forma de violência e opressão.

Chega de violência contra a mulher!
O PSTU exige a criminalização da homofobia já!
Aprovação imediata do PLC 122 original!

LEIA TAMBÉM:
Estupro corretivo na UERJ: é preciso intolerância contra a opressão