Ubes governista ou democrática?

Em meio a lutas pelo passe-livre e contra a Alca, acontecerá de 4 a 7 de dezembro em Mogi das Cruzes (SP) o Congresso da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas. nele estarão sendo debatidos dois projetos opostos para o movimento estudantil

A luta contra os aumentos de passagens e pelo passe-livre vem sacudindo o país. A juventude está nas ruas, parando o trânsito, enfrentando a polícia, ocupando prefeituras, pulando catraca e garantindo o direito ao passe-livre de fato. Já o governo Lula fez novo acordo com o FMI e negociou a Alca com Bush em Miami.

E o que vem fazendo a UBES, que deveria estar à frente destas mobilizações? A UJS, ligada ao PCdoB, e seus aliados (PPS, PSB, PMDB, PDT, Articulação), que assinam a tese “Ação e Atitude”, estão transformando a UBES em um braço do governo no movimento estudantil e aprofundando a sua burocratização. Por isso estão contra a luta do passe-livre e apóiam o governo nas negociações da Alca.

A tese “Movimento Ruptura Socialista” – Oposição, defende que a UBES esteja à frente das lutas dos estudantes, como a do passe-livre e a contra o fim dos CEFAMs em SP, e que lute contra as medidas do governo, como o acordo da Alca, do FMI e o pagamento da dívida externa, que impede o aumento de verbas para a educação. Queremos o fim do funil, das fraudes, e a volta da democracia na UBES.

Unir a esquerda num novo Bloco de Oposição na UBES

Precisamos construir uma nova direção para a UBES. Enquanto a UJS e seus aliados continuarem à frente da entidade, a UBES continuará governista e burocrática. O MRS faz um chamado a todos os ativistas, grêmios combativos, comitês do passe-livre e aos companheiros das teses Desobedeça e Radicalizar a UBES para formar um Bloco de Oposição na UBES.

Fazemos também um chamado a todas as correntes da esquerda do PT para que mudem sua postura de defesa do governo Lula e construamos juntos uma chapa de esquerda que derrote a UJS.

CHEGA DE FRAUDE!

As etapas estaduais da UBES foram um mar de despolitização, burocratização e fraudes. Na maioria dos estados, os congressos aconteceram em apenas um dia, sem grupos de discussão e debates políticos. Em São Paulo, houve 40 votos a mais do que crachás retirados! Em Pernambuco e em outros estados não houve nem votação na plenária final. Em Belém (PA), a UJS chamou a guarda metropolitana, intimidando a oposição durante o credenciamento.

Oposição vence no Rio Grande do Sul

A oposição teve uma importante vitória no Rio Grande do Sul, onde uma chapa unificada da esquerda derrotou a UJS com 53% dos votos. É necessário repetir essa unidade na etapa nacional, pois só assim será possível acabar com a burocratização e as fraudes.

Post author Diego e Bruno Nareba, diretores da UBES pelo Movimento Ruptura Socialista (MRS) – Oposição
Publication Date