TSE nega resposta de Dayse no programa do PSDB

Juízes chegam `as raias do absurso e dizem que o PSTU `induziu o PSDB ao erro`Nota à imprensa

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL OU COMITÊ DO CANDIDATO DO PSDB?

Ainda existe um Tribunal que patrocina e fiscaliza as eleições presidenciais de 6 de outubro? Ou as instituições do Estado brasileiro estão se transformando, uma a uma, em comitês eleitorais do candidato governista José Serra?
O PSTU – Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado – se vê obrigado a fazer estas indagações porque o TSE além de negar pedido de direito de resposta do PSTU no programa eleitoral do candidato José Serra, para corrigir a inverdade veiculada pelo seu programa – de que só havia uma candidata a vice mulher, a vice do tucano – usou de argumentos absurdos e indignantes para proferir tal sentença.
De acordo com o Ministro Caputo Bastos, a culpa do erro cometido pelo programa do PSDB é do próprio PSTU! O PSTU “teria induzido ao erro” o candidato tucano, ao “não ter informado” em seu programa quem era a vice!!!! Alem de não corresponder à verdade – (o Ministro deveria acompanhar com mais atenção os programas eleitorais porque se o tivesse feito teria visto no primeiro programa do PSTU a nossa chapa completa, presidente e vice) – isso é completamente inaceitável, por absurdo e provocativo.
Foi cometido um crime eleitoral contra nós, e a culpa é nossa?
Supúnhamos que havia um Tribunal Superior Eleitoral neste país, a quem caberia informar à população brasileira quais as candidaturas inscritas. Ainda mais porque o mesmo TSE (que julgávamos ter algum grau de isenção) nos negou, em decisão tomada semanas atrás, o direito ao mesmo tempo nas entrevistas de TV que outros candidatos têm. O mesmo TSE que corrobora a atitude discriminatória dos canais de televisão de nos excluir dos debates, decide que o PSTU – que tem 1min23s na TV – tem a obrigação de informar o candidato tucano, que tem 10 minutos!!!
Ainda bem que o honorável ministro não estava julgando um assassinato, pois acabaria por condenar o morto. Argumento? Ora, o morto, ao entrar na frente do tiro disparado pelo assassino, teria induzido-o ao assassinato. Francamente! Não bastasse o golpismo da verticalização, têm sido recorrentes as decisões favorecendo o candidato tucano contra os demais concorrentes.
Vamos recorrer judicialmente dessa sentença absurda contra o PSTU, embora seja cada dia mais patente de que não há decisão isenta no âmbito do TSE.
Talvez o caminho seja recorrer ao STF, porque sob o comando da maioria dos atuais ministros do TSE a lisura do processo eleitoral está sob inquestionável suspeita.

São Paulo, 06 de setembro de 2002
Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado