Trabalhador da Ambev é afastado por ter divulgado boletim sindical

Em defesa do companheiro Valter Gildo!Nota de repúdio à Ambev

No dia 19 de novembro de 2012, a Ambev (Companhia de Bebidas das Américas – S.A.) afastou o funcionário Valter Gildo da Silva de sua fábrica em Jacareí para a apuração de uma suposta falta grave. Valter é um reconhecido dirigente sindical de sua categoria e militante do PSTU.

O fato que supostamente motivou a abertura da mencionada sindicância interna foi uma postagem, atribuída pela empresa a Valter Gildo, de um boletim sindical em uma rede social na internet. Evidentemente, tal fato não pode ser sequer cogitado como uma falta grave e não justifica em absoluto qualquer tipo de afastamento ou abertura de sindicância. Mas, então, o que está por trás da ação da Ambev contra o diretor sindical Valter Gildo?

A Ambev é a maior cervejaria do mundo, responsável pela produção de reconhecidas marcas no mercado como Brahma, Skol, Budweiser, Antártica, entre outras. Recentemente, a Ambev se tornou a empresa mais lucrativa do Brasil, superando a Petrobras. Mas quando se trata de direitos trabalhistas e sindicais a empresa demonstra não levar em conta os interesses dos trabalhadores, colocando em primeiro lugar a ampliação de seus já exorbitantes lucros.

Na planta de Jacareí, por exemplo, a Ambev implementou de forma ilegal o banco de horas, sem acordo com o sindicato. Esta multinacional também se recusa a pagar a PLR (Participação nos Lucros e Resultados) dos trabalhadores, a substituindo pelo PEF, sistema que condiciona o recebimento do abono à ausência de acidentes fatais e, pasmem, greves.

Na atual campanha salarial, a Ambev vinculou a sua proposta de reajuste salarial à aprovação do PEF, proposta que foi rejeitada pelos trabalhadores em assembleia. Desde então, se estabeleceu um impasse nas negociações, diante do qual a postura da Ambev foi coagir os trabalhadores e atacar a organização sindical, utilizando para isso todos os mecanismos que estavam ao seu alcance.

Por tudo isso, a ação antissindical da Ambev só pode ser entendida nesse contexto. Realizada em meio ao impasse nas negociações da campanha salarial, o ataque tem como objetivo fragilizar a luta dos trabalhadores, afastando Valter Gildo, um combativo dirigente sindical. Com a sindicância, a empresa quer atacar o direito à organização sindical, demitindo arbitrariamente e de forma absolutamente injustificada o dirigente sindical Valter Gildo.

O PSTU repudia esse ataque aos trabalhadores da Ambev e ao companheiro Valter Gildo. Fazemos um chamado a todas as organizações sindicais e combativas a se solidarizarem à luta contra essa arbitrariedade, denunciando-a no Brasil e no mundo.