Todo apoio à greve dos professores de Iguatu, no Ceará

PSTU Ceará

Os professores do município de Iguatu, no Centro Sul do Ceará, entraram em greve contra a truculência do prefeito Ednaldo Lavor (PSD) que se recusa a cumprir com sua palavra e garantir o descongelamento do anuênio da categoria (já negociado desde fevereiro) e a reestruturação do plano de carreira do magistério municipal.

O prefeito alega que não tem como atender as reivindicações da categoria. Mas, todo mundo sabe que isso é mentira. Segundo Carlos Silva, o Carlim, presidente do Sindicato dos Guardas Municipais de Iguatu “se é verdade que a prefeitura não pode valorizar os seus funcionários, porque o prefeito não usa de transparência e mostra as contas do município para os servidores? Ele esconde as contas porque sabe que o que fala é mentira e que a verdade é que a prefeitura tem dinheiro, o que não existe é disposição política de valorizar os servidores”.

O “menino de recados” do prefeito Ednaldo Lavor, é seu Secretário de Educação, Plabo Neves (PT). Pablo foi eleito presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Iguatu (SPUMI) em 2017, alegando que iria defender os funcionários contra qualquer arbitrariedade da prefeitura. Mas nem bem começou seu mandato e já foi parar dentro do governo municipal, sendo porta voz de uma política que, além de desvalorizar os servidores, ainda é assediadora e perseguidora e tenta desmoralizar os grevistas e seus dirigentes. Que vergonha.

Ainda segundo Carlim, “a luta dos professores é justa. O prefeito Ednaldo Lavor já se comprometeu em garantir o anuênio e agora está voltando atrás. A prefeitura tem condição e obrigação de valorizar seus servidores e a categoria não vai descansar enquanto não tiver suas pautas atendidas. Nós, com certeza, vamos nos manter ao lado dos professores até o fim dessa luta que é por valorização, mas também contra o assédio e a perseguição”, concluiu o dirigente.