Surrealismo, muito além de Dalí

movimento criado por Breton propunha uma revolução na arteHá uma tendência equivocada de ligar o Surrealismo quase que exclusivamente ao nome de Salvador Dali. Esse movimento vai muito além.

Lançado em 1924, através do Manifesto escrito pelo poeta e crítico André Breton (1896-1966), o movimento propunha-se a promover uma revolução no mundo das artes através da liberação do inconsciente e da imaginação. Uma revolução que, particularmente no grupo liderado por Breton, deveria refletir as revoluções que estavam varrendo o continente europeu naquele momento. Tanto é a assim, que suas principais publicações, na década de 20, foram as revistas A revolução surrealista e O surrealismo a serviço da revolução.

A idéia geral era liberar a mente, os sonhos e fantasias das pessoas do raciocínio
conservador e elitista imposto pela burguesia e a lógica capitalista para dar origem a uma nova forma de criatividade e expressão.

Foi também com esta preocupação que, em 1938, Breton reuniu-se com Leon Trotsky, no México, onde escreveram o Manifesto por uma Federação Internacional por uma Arte Revolucionária e Independente, uma tentativa de responder ao reacionário “realismo socialista”, imposto por Stalin.

A frase final do Manifesto é o resumo de algo que Salvador Dalí jamais aprendeu: “O que queremos: a independência da arte – para a revolução; a revolução – para a liberação definitiva da arte”.

Post author Wilson H. Silva, da redação
Publication Date