Subsede da Apeoesp realiza seu primeiro encontro de mulheres

No dia 25 de outubro, a subsede da Apeoesp da Zona Sul de São Paulo (SP) realizou seu I Encontro de Trabalhadoras em Educação. O evento possuía um objetivo claro: impulsionar a construção do movimento de mulheres feminista e classista, filiado à Conlutas. Para tanto, a subsede estendeu o convite do encontro a vários setores.

Estiveram presentes estudantes secundaristas, professoras(es) da rede municipal e de outras regiões (sudoeste, sudeste e oeste). A subsede proporcionou toda a estrutura, incluindo alimentação e creche para que as companheiras pudessem se dedicar o debate político durante o evento.

Participaram cerca de 50 pessoas que debateram a conjuntura de crise econômica e como os setores mais oprimidos da sociedade são os primeiros a sofrer as conseqüências da mesma. O tema da reorganização também esteve presente, tanto em mesa de debate quanto em grupo de discussão, bem como a questão da violência sofrida pelas mulheres.

Como encaminhamento, o encontro reafirmou as resoluções de política para as mulheres aprovadas no I Congresso da Conlutas e apontou os primeiros passos que a subsede e o movimento devem dar na região para a consolidação e massificação do trabalho com mulheres. Entre eles:

  • apoio material e político da subsede ao movimento;
  • campanha contra a prática do assédio moral nos locais de trabalho;
  • campanha pela construção de casas abrigo e centros de referência de qualidade;
  • ampliar o debate à comunidade escolar;
  • aprofundar o debate sobre violência nas escolas.

    Votou-se, ainda, uma sugestão de nome para o movimento, Mulheres em Luta, em acordo com o encontro realizado no Ceará, e uma coordenação regional do movimento representada por professoras das regiões sul, sudeste e sudoeste, estudantes secundaristas, incluindo uma companheira da Intersindical que se dispôs a construir conosco esta alternativa de luta das mulheres trabalhadoras.

    Assim, a Subsede Sul da Apeoesp se lança no desafio de apoiar a organização das mulheres, em torno de um programa conseqüente, classista e feminista!