SP: Arrancamos as primeiras vitórias, agora as mobilizações não podem parar!

PSTU na mobilização do dia 20/06
Foto: Raíza Rocha

As gigantescas manifestações populares que sacodem o país produziram suas primeiras conquistas. Na segunda-feira (17), um dia histórico, houve uma enorme vitória democrática: centenas de milhares de jovens e trabalhadores ocuparam as ruas em todo país, fizeram a repressão recuar e impuseram a mobilização de massas contra os governos de plantão. Na quarta-feira (19), outra importante vitória. Amedrontados pela revolta popular, Alckmin e Haddad, em São Paulo, e Eduardo Paes, no Rio, revogaram o aumento das tarifas de transporte.

O povo comemora entusiasmado um grande triunfo. As massas irromperam nas ruas, como um tsunami que tudo arrasta, na maior manifestação popular em 21 anos. A juventude brasileira está redescobrindo sua força social e política, e sua luta começa a contagiar amplos setores de trabalhadores.

A derrubada das tarifas alimenta a confiança nas lutas. Os governos do PT, do PSDB, PMDB e demais partidos recuam assustados. A mobilização popular não pode parar. É preciso avançar e aproveitar a relação de forças favorável. Para tanto, em primeiro lugar, é necessário dar prosseguimento às mobilizações e continuar ocupando as ruas. Em segundo, é preciso definir nossos próximos passos e as reivindicações centrais do movimento. E, por último, é fundamental construir a aliança da juventude com a classe trabalhadora. A entrada em cena dos operários, com suas greves e organizações, pode ser decisiva para o desenvolvimento da revolta popular que toma conta do país.

Transporte é um direito e não mercadoria!
Passe Livre Já! Rumo à estatização do transporte público!

A indignação com as condições de vida se manifesta nas ruas ocupadas por protestos. O transporte é caro, de péssima qualidade e o trânsito á caótico. A revogação do aumento das passagens foi apenas o primeiro passo. Agora, trata-se de exigir de Alckmin e Haddad um transporte público, gratuito e de qualidade. Afinal, o transporte é um direito, assim como a educação e a saúde, e, por isso, não deve ser tratado como fonte de lucros para meia dúzia de empresários gananciosos. Por isso, não podemos admitir o discurso do petista e do tucano de que vão tirar dinheiro de outras áreas sociais para bancar a revogação do aumento.

É possível a tarifa zero para todos e todas, bem como melhorias na qualidade do serviço prestado, com corredores de ônibus, ampliação do metrô, etc! Essas medidas podem ser efetivamente garantidas por meio da estatização do transporte público e do investimento de 2% PIB no setor, medidas que acabarão com a máfia das empresas de ônibus que lucram com o sofrimento da população!

Fora Alckmin! Abaixo a repressão!

O governo Alckmin (PSDB) foi o responsável pelo massacre da polícia contra manifestantes e jornalistas no ato da quinta-feira, dia 11. Assistimos a uma cena da Ditadura: balas de borracha, bombas, centenas de presos, dezenas de feridos, jornalistas com ferimentos graves, sendo que um deles perdeu a visão. É preciso derrubar esse governo criminoso que massacra os manifestantes, os professores estaduais em greve, os negros nas periferias e os pobres nas cidades como foi no Pinheiro em São José dos Campos (SP).

Não podemos permitir que um governo que aponta suas balas contra o povo se mantenha no poder!

Fora Alckmin!
Abaixo a repressão!
Liberdade para todos presos políticos e fim dos processos contra os manifestantes!
Desmilitarização da Polícia! Fim da tropa de choque! Investigação e punição exemplar dos responsáveis pela repressão!
 

Haddad assim não dá! Chega de governar para os ricos!

Infelizmente, Haddad (PT) está demonstrando de que lado está. Primeiro, se aliou ao bandido Paulo Maluf (PP) para ganhar as eleições. Depois, manteve tudo como com era nos tempos de Kassab: subiu as passagens dos ônibus, não ouviu os professores municipais em greve e se juntou ao Alckmin contra o povo para defender a repressão e a manutenção do aumento. Somente após duas semanas de heroica mobilização popular, Haddad recuou, e mesmo assim de forma visivelmente contrariada.  

Milhões de trabalhadores e jovens confiaram em Haddad e no PT. Muitos viram e veem no PT uma alternativa contra o PSDB e suas privatizações. Mas agora, depois dos eventos das últimas semanas, é necessário refletir: O PT e Haddad estão governando para os ricos e preferem se aliar Maluf e ao Alckmin a atender as justas reivindicações do povo. Como milhares de jovens cantavam nas ruas: “Haddad você não me engana, esse aumento tem bico de tucano!”. Não podemos confiar nos governos do PT e nas suas alianças com os partidos da burguesia e da direita. Desafiamos Haddad e o PT a romper com Maluf e a máfia do transporte e estatizar as empresas de ônibus, garantindo um serviço público, estatal e de qualidade para todos.

Inflação, arrocho, repressão e privatização… Assim não dá!
O povo está na rua! Dilma a culpa é sua!
Da Copa eu abro mão, quero dinheiro pra saúde e educação!

Enquanto os governos “queimam” bilhões de reais nos estádios da Copa, milhares de brasileiros morrem nas filas dos hospitais. Enquanto se gasta centenas de milhões com os privilégios dos políticos, os professores ganham um salário de fome. O governo Dilma ajuda os bancos e empreiteiras enquanto a inflação alta corrói os salários e a alta dos alimentos tira comida da mesa do trabalhador. Basta! A juventude e os trabalhadores acordaram, não vamos mais aceitar tanta injustiça!

Não podemos admitir os gastos escandalosos com as obras da Copa! O governo federal e os governos estaduais estão despejando nosso dinheiro em estádio superfaturados. Um absurdo! Temos que exigir que esse dinheiro seja direcionado imediatamente à saúde e à educação públicas. Da Copa abrimos mão, queremos dinheiro pra saúde e educação!  Além disso, mais do que nunca, é preciso exigir o investimento de 10% do PIB em educação pública já e 6% do PIB pra saúde pública!

Mas não para por aí. O PT repete o PSDB e privatiza as riquezas do país. Depois dos portos, aeroportos e estradas, o governo Dilma fará a privatização do Pré-Sal num leilão em setembro. É preciso exigir do PT o fim dos leilões do petróleo brasileiro!

Os salários não acompanham a inflação. Falta dinheiro no final do mês, sobretudo para comprar alimentos, que a cada dia ficam mais caros. O governo Dilma ajuda os empresários com fartas isenções e muito dinheiro público, mas não se preocupa com o trabalhador. Todos estão percebendo que a vida está piorando. É preciso exigir de Dilma o congelamento dos preços dos alimentos e das tarifas! Aumento geral dos salários já!

 

Chega de São Paulo para os ricos, SP para os trabalhadores!

A Anel e a CSP-Conlutas estão chamando toda a juventude e os trabalhadores, assim como as entidades estudantis, sindicais e populares a somarem às manifestações e construírem uma intervenção conjunta e um plano de lutas nacional. O PSTU se soma a esse chamado e defende a construção de um bloco classista, anticapitalista e socialista nas manifestações.

Nesse processo concreto de mobilização, é preciso construir uma alternativa dos trabalhadores e da juventude. Todos esses governos, especialmente os tucanos como o de Alckmin estão comprometidos com os corruptos, empresários e banqueiros. Infelizmente, os governos do PT com suas alianças com a burguesia não estão sendo diferentes. Estão no poder para a manutenção da riqueza de uns poucos à custa da exploração e da opressão da maioria.

A juventude e os trabalhadores só podem confiar em suas próprias forças. Apenas um governo dos trabalhadores, aliado à juventude lutadora e ao povo pobre, pode realmente acabar com as injustiças sociais e a repressão ao povo.

Fora Alckmin!
Haddad e Maluf não são alternativas!
Chega de São Paulo para os ricos, SP para os trabalhadores!
 

*Ana Luiza e Mancha sáo da direção estadual do PSTU/SP