Só a mobilização pode derrotar o governo Mesa

`ProtestoQuando fechávamos esta edição, a greve geral na Bolívia, marcada para o dia 2 de maio, ainda não havia começado. Sofrendo um ataque duríssimo por parte do MAS, de Evo Morales, a COB postergou o início da greve para o dia 4. Tendo a COB regional de El Alto (região que foi vanguarda na insurreição de outubro de 2003) como principal base de apoio, o MAS chama o diálogo com o governo Carlos Mesa para a mesma data da greve! Esta posição traidora confunde e lança dúvidas sobre a possibilidade de vitória do movimento. Diversas categorias de trabalhadores farão assembléias para definir se entrarão em greve. No dia 3, cerca de cinco mil dirigentes indígenas marcharam em La Paz, gritando “Evo é traidor”, e iniciando o bloqueio de estradas.
Contudo, toda esta confusão tem uma origem que, infelizmente, vem da própria direção da COB. Logo após a subida de Carlos Mesa, o presidente da COB, Jaime Solares, foi um dos primeiros a declarar a trégua de 90 dias ao governo, difundindo esperanças no sucessor de Goni.

Post author Yuri Fujita, da redação
Publication Date