Pelo Mundo

  • Iraque
    Crise em Fallujah

    No dia 31 de março, a resistência iraquiana na cidade Fallujah protagonizou uma das cenas mais marcantes da guerra: a morte e exposição em praça pública dos corpos de quatro mercenários norte-americanos. Desde de então, Bush transformou a derrota da resistência em uma verdadeira obsessão. Contudo, as coisas não têm saído como se esperava. Apesar de terem assassinado mais de 600 pessoas, o exército de ocupação sofreu pesadas baixas. E num lance duvidoso, em 29 de abril, os ianques anunciaram um “acordo” para deixar a cidade e entregar o patrulhamento ao Exército de Proteção de Fallujah, recém formado por dois mil iraquianos.

  • Estados Unidos
    Tortura derruba popularidade

    Na mesma semana em que a rede de TV CBS exibiu fotos de iraquianos sendo torturados por militares norte-americanos, a popularidade de Bush e o apoio à guerra sofreram uma significativa queda. As imagens mostram iraquianos recebendo choques elétricos e sendo empilhados nus. Também há denúncias de estupros. A repercussão nos EUA ajudou a derrubar a aprovação do desempenho de Bush no Iraque, de 59% (em dezembro) para 41%. Já o apoio à iniciativa de começar a guerra caiu de 58% (março) para 47%. E o apoio a Bush, que era de 68%, quando a guerra começou, despencou para 46%.

  • Nigéria
    Aids matou 2,3 milhões

    Entre 1986 e 2004, 2,3 milhões de nigerianos morreram vitimados pela Aids. Outros 3,8 milhões são soropositivos. A epidemia atinge mais de 5% dos 112 milhões de habitantes, o que contribui para reduzir a expectativa de vida. Jovens entre 20 e 29 anos são os mais afetados, com 5,6% infectados.

    Post author Por Wilson H. Silva, da redação
    Publication Date