Sem-terra é morto e outros ficam feridos na Paraíba

Na manhã de 5 de junho, cerca de 1.500 trabalhadores sem-terra estavam trabalhando em mutirão na Fazenda São José, quando foram surpreendidos por um grupo de capangas fortemente armados comandados pelo proprietário da fazenda, Marcos Napoleão. Os capangas atacaram as famílias, disparando vários tiros. O trabalhador Antônio Alves da Silva, 43 anos, foi morto e dez sem-terra ficaram feridos, três deles gravemente (uma mulher, uma adolescente de 14 anos e um homem).

A Fazenda São José fica no município de Jacaraú, a 65 Km de João Pessoa. Tem 400 hectares e foi ocupada por 50 famílias, ligadas à CPT da região, em agosto de 2001. As famílias solicitaram ao Incra a vistoria do imóvel, que foi negada mediante a MP 2029, que impede terras ocupadas de serem vistoriadas. O Interpa (Instituto de Terra da Paraíba) ficou de encaminhar uma proposta para resolver o problema e até agora nada fez. As famílias já sofreram despejo, ameaças e tentativas de assassinato. Atualmente estão acampadas na proximidade da fazenda e continuam plantando e colhendo os produtos que garantem o alimento em suas mesas.

Este é mais um fato grave de violência contra os trabalhadores rurais no Estado. Muitas vezes foi denunciada a irresponsabilidade do Poder Judiciário, Polícias Civil e Militar, em permitir e fazer vista grossa diante de ações violentas de fazendeiros e capangas contra famílias que lutam por uma vida melhor. A CPT pede a todos que enviem mensagens de protesto ao governador Cássio Cunha Lima (governador@pb.gov.br), solicitando providências enérgicas contra esses assassinos, mandantes e capangas.

FONTE: CPT NORDESTE

Post author
Publication Date