Rodoviários do Amapá vão às urnas e mantêm direção de luta

Chapa da Conlutas derrota golpe da patronal e obtém maioria esmagadora dos votos. Motoristas e cobradores param os ônibus cheio de passageiros em frente ao sindicato e descem para votarNa última sexta-feira, dia 26 de maio ocorreram as eleições para a nova diretoria do Sindicato dos Rodoviários do Amapá (SINCOTTRAP). As eleições tiveram uma única chapa concorrendo, a da Conlutas, que obteve 409 dos 410 votos.

A primeira vitória da categoria veio justamente quando a patronal e os pelegos não conseguiram os 38 nomes necessários para inscrever a chapa, frente ao grande apoio de base que tem os lutadores que vem dirigindo a entidade. Todo o processo eleitoral e seu resultado foram uma derrota e desmoralização da patronal que, há cerca de um ano e meio, vinha se preparando para a disputa. O processo eleitoral foi aberto no mês de abril, depois de uma semana onde houveram cinco paralisações da categoria exigindo o cumprimento do Dissídio Coletivo.

Com uma forte campanha na base da chapa PRA AVANÇAR NAS CONQUISTAS, com o centro na denúncia da reforma Trabalhista-Sindical do governo Lula e dos patrões, a chapa defendeu o fortalecimento da Conlutas e uma forte campanha salarial esse ano. Os ativistas também fizeram o chamado para a construção da Frente Classista de Esquerda e Socialista.

GOLPE –Na última semana da campanha, os patrões pegaram três pelegos e iniciaram uma contra-ofensiva indo à casa de alguns dos membros da chapa oferecendo dinheiro para os trabalhadores retirarem o nome. Ao mesmo tempo estavam recolhendo assinaturas dos trabalhadores na base e, em troca, davam dinheiro aos que assinavam. Essa tentativa dos pelegos e dos patrões visava suspender o processo e as eleições, mas o tiro saiu pela culatra e revoltou a categoria. Foram feitas denúncias de que estavam sendo distribuídos R$ 200 mil. Os trabalhadores, ao terem conhecimento da armação que estava sendo feita, vinham ao sindicato assinar um documento junto a Comissão Eleitoral desautorizando o uso de nome pelos pelegos.

No dia da votação, a categoria deu o troco e compareceu em peso para votar. Dos 410 votos, apenas 1 foi nulo. O restante foram na chapa do sindicato e da Conlutas. Uma cena chamou a atenção dos sindicalistas de outras entidades presentes na eleição: vários motoristas paravam os ônibus cheio de passageiros em frente a sede do SINCOTTRAP e desciam com o cobrador para votar!

Em quatro anos de luta, 40,5% de reajuste salarial e conquista de direitos
Só na primeira campanha salarial, foi conquistado um reajuste maior que durante todo o período de Vicente, reconhecido pelego da categoria, e sua turma. Em nossa gestão tivemos 40,5% de reajuste salarial e aumentamos em mais de 300% a cesta básica (hoje em R$ 100), acabamos com o banco de horas e a compensação, com os famigerados Contratos Parciais e Temporários, recuperamos o vale-refeição de R$ 5, conquistamos o café da manhã, estamos acabando com o TU (dupla jornadas), garantimos o emprego dos trabalhadores da empresa Estrela de Ouro, fizemos nosso carro de som, compramos nosso terreno, realizamos grandes atividades de lazer para os rodoviários e família, etc…

Enfim, transformamos o SINCOTTRAP em um sindicato respeitado em todo o estado e no país, estando à frente das lutas contra os ataques de Lula e dos patrões aos nossos direitos e pela construção da Conlutas. Agora chegou a hora de dar mais outro passo à frente, PRA AVANÇAR NAS CONQUISTAS!!