Rodoviários de Teresina (PI) estão em greve por reajuste

A greve começou a meia-noite de segunda, 18 de maio. A categoria vem cumprindo a lei de greve que estabelece o mínimo de 33% da frota em circulação. No final da manhã do mesmo dia, o TRT determinou aumento da frota em operação para 50%.

Os rodoviários temem que os empresários descumpram a determinação da Justiça do Trabalho e coloquem mais ônibus nas ruas, como o que aconteceu na madrugada de terça-feira, 19. Os grevistas realizam piquetes nas portas das garagens.

Usando como desculpa a greve dos ônibus de Teresina, vândalos estão praticando atos de terrorismo, jogando pedras, bombas caseiras e efetuando até disparos de arma de fogo nos coletivos, no segundo dia de greve dos rodoviários em Teresina. O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Coletivos (Sintetro) denuncia que tal vandalismo pode vir dos próprios empresários de transporte para que a sociedade retire seu apoio à greve.

Juiz determina circulação de 50% da frota
Atendendo à ação impetrada pelo Sindicato das Empresas de Ônibus, o juiz Meton Marques, do Tribunal Regional do Trabalho, decidiu que durante a greve dos motoristas e cobradores de ônibus devem circular 50% da frota. No entanto, piquetes nas garagens permitem apenas a saída de 33% da frota.

Salários e condições de trabalho
O secretário geral do Sindicato dos Rodoviários, Marco Aurélio, diz que além dos baixos salários, muitos motoristas e cobradores ainda enfrentam condições de trabalho desfavoráveis. A precariedade de parte dos veículos afeta diretamente a saúde dos trabalhadores.

“Os trabalhadores estão aí, morando na periferia, passando fome, adoecendo e eles [empresários] ainda reclamam do número de atestados médicos apresentados mensalmente às empresas. Grande parte da frota está sucateada, as embreagens dos carros são duras, o hidráulico da direção quebrado. Não observam a condição de trabalho dos trabalhadores”, reclama.

A Oposição Rodoviária, recém-filiada à Conlutas no Piauí, está na linha de frente dessa paralisação e à frente dos piquetes nas principais garagens. Foi devido à existência da Oposição que a greve saiu, pois até então o sindicato estava acostumado a negociar com os patrões acordos rebaixados.

SALÁRIOS ATUAIS DOS RODOVIÁRIOS DE TERESINA:
Motoristas (salário-base) – R$ 860,75
Motoristas (vale-alimentação) – R$ 305
Cobradores (salário-base) – R$ 559,48
Cobradores (vale-alimentação) – R$ 214