RJ: Ato pelo Fora Cabral reúne mil manifestantes no Centro do Rio

Procurador-geral fala aos manifestantes em frente ao MP

Fórum de Lutas do Rio de Janeiro impulsiona calendário de mobilizações pelo Fora Cabral

Cerca de mil ativistas voltaram a se manifestar nas ruas do centro do Rio. Apoiado pelo Fórum de Lutas, o ato desta quarta-feira teve início com a concentração na Cinelândia, às 16h, indo depois em passeata até o Ministério Público. Na Cinelância, foram cantadas palavras de ordem contra governador Sergio Cabral, a Copa de 2014, a Polícia Militar e pela investigação do caso Amarildo, morador da Rocinha desaparecido desde o dia 14 de julho. A marcha chegou até a sede do Ministério Público e foi recebida pelo Procurador-Geral do Estado, Marfan Martins Vieira. Os manifestantes entregaram uma carta com reivindicações do movimento, contendo, entre outras exigências, a investigação de todos os crimes do governo Cabral.
 
Em seguida, parte dos manifestantes resolveu caminhar até a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Depois de uma breve ocupação das escadarias do edifício, os ativistas se dirigiram à Câmara de Vereadores e o prédio foi ocupado por mais de duas horas. A ocupação da Câmara virou referência para os manifestantes que ainda estavam no centro. Dentro e fora do prédio, manifestantes animados cantavam palavras de ordem. Representantes da Aldeia Maracanã abriram um faixa em defesa dos direitos indígenas no interior da Câmara.
 
A PM do Rio de Janeiro, que durante a manifestação teve uma postura provocativa, revistando ativistas e criando cordões de isolamento dentro da passeata, resolveu retirar à força os manifestantes. Fizeram um cordão “polonês” e, de forma covarde, agrediram quem estava lá. Do lado de fora, lançaram grandes quantidades de spray de pimenta, dispararam, por diversas vezes, armas de choque contra os ativistas e avançaram contra os manifestantes agredindo quem acompanhava a desocupação. Mesmo depois da violência policial, os manifestantes programaram outros atos para continuar a campanha pelo Fora Cabral. Como diz a palavra de ordem cantada na ruas: amanhã será maior!
 
Os escândalos de corrupção, a repressão policial, os desmandos do governo Cabral e as recentes declarações do governador, dizendo que não é um ditador, demonstram a necessidade de que os trabalhadores e estudantes se organizem para lutar contra Sergio Cabral. No Rio de Janeiro, o Fórum de Lutas, um organismo democrático e representativo no qual se decidem os passos do movimento, foi criado como forma de organizar a luta. 
 
Devemos fortalecer o Fórum, para que haja liberdade de expressão sobre as propostas para o movimento e, uma vez tomadas as decisões, que elas sejam respeitadas por todos. É possível concretizar a palavra de ordem entoada nas manifestações, o “Fora Cabral”. Mas para isso é preciso lutar com determinação e coerência.
 
Calendário do Fórum de Lutas:
6 de agosto: Apoio ao ato contra a PEC 4.330, que favorece as terceirizações, organizada pelas centrais sindicais.  Concentração às 10h na Cinelândia.
8 de agosto: Ato pelo “Fora Cabral”. Concentração 17h na Candelária. Passeata até à Alerj.
30 de agosto: Apoio ao Dia de Greve Geral organizado pelas centrais sindicais.