Rio de Janeiro: um ato marcado pela emoção

Teresa Bastos
Palikura Photo

Marcado por uma emoção muito grande do início ao fim. Assim foi o ato comemorativo dos 15 anos do PSTU no Rio de Janeiro no dia 9 de julho, na Faculdade Nacional de Direito da UFRJ. Militantes e ex-militantes, representantes de outras organizações, ativistas e simpatizantes do partido formaram a plateia de cerca de 400 pessoas que homenagearam nossa organização.

O ato foi aberto com a exibição do documentário Meu Partido é Assim. Ainda no início, Cyro Garcia fez uma breve fala denunciando o golpe militar em Honduras. O gesto demonstrou o caráter internacionalista do partido.

Em seguida, formou-se a mesa com Vera Nepomuceno, professora e diretora do Sepe-RJ, e Rafael Duarte, da Juventude do PSTU. Três homenageados foram chamados a compor a mesa: Cyro Garcia, Teresa Bastos e Ernesto Gradella. Representando a direção nacional estava Eduardo Almeida. Ele resgatou a história, os princípios e o programa do PSTU.

Uma outra mesa simbólica foi formada com alguns companheiros já falecidos. Nahuel Moreno, fundador da Liga Internacional dos Trabalhadores, abriu uma lista ao mesmo tempo triste, por não termos mais os camaradas, e também de orgulho, por terem feito parte dessa história.

Chico Alencar, deputado federal, falou representando o PSOL. O PCB levou uma delegação ao ato e leu uma mensagem de Ivan Pinheiro, presidente do partido. Reage Socialista – Grupo Fundador, APS e Instituto de Defesa dos Direitos Humanos também enviaram representantes.

Homenagens
Um dos pontos altos foi, sem dúvida, a homenagem a três importantes companheiros presentes. Eles receberam placas, flores e viram sua trajetória em pequenos vídeos preparados especialmente para o ato.

Cyro Garcia foi lembrado pelos seus mais de 30 anos de militância que se confundem com a história da corrente. Ele foi deputado federal nos anos 1990, cumprindo um mandato a serviço da classe trabalhadora. Já foi presidente do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro e hoje é a principal figura pública e a cara do PSTU no Rio.

Ernesto Gradella também foi lembrado pela sua atuação revolucionária no parlamento e pelo papel de destaque que cumpriu na construção do partido. Em especial, foi ressaltado o seu papel durante a votação do impeachment de Fernando Collor.

Teresa Bastos foi fundadora do partido, membro da direção regional do Rio e da direção nacional do partido. Militou no movimento estudantil e no movimento sindical, destacando-se na organização e construção do partido. Um grave problema de saúde impede que ela hoje se dedique como antes. Mas, como diz a carta entregue a ela, “a sua história serve para que todos os dias os militantes atuem com rigor e preocupação com a atividade partidária, tanto na organização quanto nos debates políticos”.

Teresa tentou falar após a homenagem, mas a emoção não permitiu que terminasse. “Foi muito emocionante, eu não esperava, porque homenagear alguém que está vivo é muito diferente, tem outra importância”, disse.

Post author
Publication Date