Reunião da Conlutas aprova 30 de março como Dia Nacional de Luta em unidade com centrais sindicais

A reunião da Coordenação Nacional da Conlutas, realizada neste sábado e domingo, em São Paulo, aprovou 30 de março como Dia Nacional de Mobilização, que ocorrerá conjuntamente com outras centrais sindicais (Intersindical, UGT, CGTB, CUT, Força Sindical e Nova Central) e movimentos sociais, entre eles, o MST.

O objetivo da mudança de data do 1º de abril para o 30 de março é fortalecer a mobilização dos trabalhadores contra os efeitos da crise econômica e dar maior visibilidade a esse movimento.

O ato nacional será realizado na avenida Paulista. Nas outras cidades, as entidades e organizações que estiverem participando do protesto devem organizar atividades locais como manifestações e paralisação em locais de trabalho.

Em todas as atividades que a Conlutas participar haverá a exigência ao governo Lula uma Medida Provisória emergencial que garanta a estabilidade no emprego e também a aprovação pelo Congresso Nacional da redução da jornada de trabalho sem redução dos salários.

Vamos exigir dos governos estaduais e municipais políticas concretas de proteção ao trabalhador: suspensão da cobrança das tarifas de energia, luz, gás, água e IPTU para os desempregados; suspensão do pagamento das dívidas externa e interna e plano de obras e empregos nos estados; reforma agrária e passe livre nos ônibus e no metrô para os desempregados.

Temos ainda como bandeiras nacionais saúde, moradia e educação e reforma agrária, a defesa dos serviços públicos e dos servidores e a campanha pela reestatização da Embraer.

Internacional
Diante da avaliação do aprofundamento da crise econômica mundial a Conlutas fortalecerá sua atuação internacional a partir do Elac, por meio de iniciativas de solidariedade e de lutas unificadas em diversos países, principalmente nos setores organizados do movimento, por exemplo, o automobilístico.

Além dessa política diante da crise, duas bandeiras são fundamentais para a Conlutas: a campanha pela retirada das tropas brasileiras no Haiti e a solidariedade ao povo palestino. Para chamar os cinco anos de ocupação das tropas no Haiti diversas atividades serão organizadas, entre elas a vinda de nova delegação do Haiti para visitar diversas regiões promovendo debates, palestras e atos no final de maio e início de junho.

A Conlutas continua participando dos comitês locais e regionais em defesa do povo palestino.

Reorganização
Como parte do processo de reorganização do movimento, após as datas de mobilização – 8 de março, 21 de março e 30 de março -, a próxima atividade dos grupos que participaram da reunião de Belém no final de janeiro é a realização de um seminário nacional, para o qual a Conlutas terá 60 representantes.

Outros temas
Além desses temas debatidos na reunião da coordenação da Conlutas, inúmeras resoluções e moções de luta foram aprovadas, entre elas do apoio ao congresso que será realizado pelos estudantes. Também ocorreu a apresentação dos pontos específicos dos grupos de trabalho que compõem a Central, assim como foram discutidos ainda finanças e outras questões específicas.

No início da semana leia o relatório da reunião com os detalhes dos debates e as resoluções.