“Resgate/Conlutas” vence primeiro turno das eleições em rodoviários de Fortaleza

Oposição derrotou CUT e CTB com 73%; disputa agora será no segundo turnoOs trabalhadores rodoviários de Fortaleza obtiveram uma grande vitória na eleição para escolher a nova diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sintro). Dos 1.448 votantes, 1.031 votaram na chapa Resgate/Conlutas. A chapa da CUT obteve 245 votos, e a chapa da CTB, 154. Foram 16 votos nulos e quatro brancos.

Os rodoviários percorreram um longo caminho até chegar a essa vitória parcial, já que haverá segundo turno, pois o quorum de 1.942 votos não foi atingido. Um número muito grande de aposentados não compareceu às urnas.

A comissão eleitoral, escolhida pelo atual presidente do sindicato (CTB), tentou fraudar o processo. Na eleição organizada pela comissão fraudulenta, as urnas só passariam onde o sindicato tinha maior apoio. A mesma comissão impugnou a chapa da Conlutas, que foi obrigada a recorrer à Justiça, onde ganhou o direito de concorrer. Após esses fatos, vieram intimidações, ameaça de morte por telefone, quebra do vidro do carro de som da Conlutas, entre outras práticas que merecem total repúdio.

Nada disso intimidou a chapa Resgate/Conlutas, que seguiu firme no seu propósito: devolver o sindicato à categoria para que esse volte a ser uma entidade de luta.

O apoio dos rodoviários à Conlutas vem desde 2008, quando, por três dias, a capital cearense ficou paralisada. A greve foi contra o acordo assinado pela direção do sindicato, sem consulta à categoria. A direção da entidade assinou o acordo, fechou o sindicato e sumiu. A categoria, porém, foi à luta sob a direção da Conlutas estadual do Ceará.

A direção do sindicato, que nessa época era composta pela CUT e CTB, ao invés de ficar ao lado dos trabalhadores, ficou do lado da prefeitura do PT. Os meios de comunicação foram usados para atacar o movimento dos rodoviários. O que mais indignou os trabalhadores, contudo, foi a truculência da polícia a mando da administração petista.

A Conlutas denunciou ao Ministério Publico do Trabalho as fraudes que a direção do sindicato vinha fazendo. O procurador-chefe, Francisco Gerson Marques de Lima, acatou a denúncia e pediu a suspensão da eleição e a formação de uma junta governativa com trabalhadores da categoria. A juíza concedeu uma liminar marcando nova eleição e a formação da junta governativa que organizou o processo eleitoral.

O que ficou demonstrado é que os rodoviários de Fortaleza queriam que o sindicato fosse dirigido pela Resgate/Conlutas. A oposição vem lutando pelos interesses da categoria, como salário digno – arrochado por acordos firmados entre empresas e sindicato -, fim do banco de horas e pagamento de horas-extras.

De 24 urnas, a chapa da oposição ganhou em 17. A chapa da CUT, em cinco, e a da CTB em apenas 1. No final, a Resgate/Conlutas ficou com 73% dos votos; 16% foi para a CUT; 10% para CTB.

Mesmo com esse resultado, a chapa da CUT, junto com a CTB, querem dar um golpe e estão querendo que, no segundo turno, as urnas sejam colocadas no sindicato. Essa é a forma que eles encontraram para ganhar no “tapetão”. “Isso, os trabalhadores não vão aceitar”, falou Neto, da chapa Resgate/Conlutas.