A Ministra Damares foi às redes sociais pedir a cassação do Deputado Arthur do Val (Podemos) e repudiar suas falas, as quais considerou nojentas, baixas e sujas.

Não há a menor dúvida sobre o conteúdo asqueroso e repulsivo dos áudios de Arthur do Val, que ademais de sexista e racista, é também criminoso, pois atenta contra a dignidade de mulheres em situação de guerra e faz apologia ao turismo sexual. Por isso, exigimos que seja punido e seu mandato parlamentar cassado.

Mas a declaração de Damares é pura hipocrisia. Até agora a ministra não demostrou nenhuma empatia pela situação do povo e das mulheres ucranianas. Pelo contrário, seu discurso na abertura do Conselho de Direitos Humanos da ONU na semana passada, ignorou completamente a invasão russa à Ucrânia, cujo número de refugiados naquele momento já passava de 400 mil, e ainda hostilizou o jornalista Jamil Chade quando este as questionou sobre o conflito.

Damares se manifestou contra Do Val, mas se cala diante das inúmeras declarações misóginas, machistas, racistas e LGBTfóbicas de Bolsonaro e quando o faz é para justificar suas atitudes. Ela mesma já afirmou coisas como: que meninas são estupradas por não usarem calcinha, que a luta pela igualdade incentiva a violência às mulheres e que mulher tem que ser submissa ao marido. À frente do Ministério da Mulher e dos Direitos Humanos, esteve envolvida na tentativa de impedir que uma menina de apenas 10 anos, vítima de estupro, exercesse seu direito legal de abortar.

E tem promovido um verdadeiro desmonte das políticas de gênero e de direitos humanos, inclusive se alinhando na ONU com países ultraconservadores e reacionários, como a própria Rússia de Putin, para impedir avanços nas políticas antidiscriminatórias às mulheres e nos direitos sexuais e reprodutivos.

Além da política para imigrantes e refugiados do governo Bolsonaro a qual Damares apoia e aplica. Em 2019 o Brasil abandonou o Pacto Global para a Migração. Damares justificou a saída dizendo que “temos nosso próprio jeito de cuidar dos imigrantes”. No ano seguinte a deportação de estrangeiros cresceu 5.708% no Brasil e apesar do país ter concedido 24% mais refúgios que em 2019, o número de pedidos indeferidos cresceu 244%. As mulheres representaram 42,7% de todos os pedidos, mas apenas 36,4% dos processos deferidos. É esse o jeito de Bolsonaro e Damares cuidarem das imigrantes e das refugiadas.

A invasão russa e o massacre à Ucrânia é abominável e precisa ser imediatamente cessado. Declaramos total apoio à resistência ucraniana e nossa solidariedade ao povo e às mulheres desse país.

Denunciamos e repudiamos as falas machistas e racistas do deputado Arthur do Val. Não admitiremos que a dignidade das mulheres ucranianas e pobres da Europa seja desrespeitada e que figuras como ele se aproveitem da condição das refugiadas para obter vantagens sexuais ou de qualquer natureza, por isso exigimos que seja punido e seu mandato cassado.

Assim como também denunciamos o apoio de Bolsonaro e Damares ao agressor Putin, por trás de declarações e discursos supostamente de defesa da paz, enquanto mantém relações diplomáticas com a Rússia.

Pela derroa de Putin e das tropas russas na Ucrânia!

Pela punição e cassação do mandato de Arthur do Val!

Fora Bolsonaro, Mourão e Damares já! 

Leia também

Todo o repúdio aos comentários sexistas e racistas do deputado Arthur do Val sobre as refugiadas ucranianas