Repudiamos o atentado contra o jornal Charlie Hebdo

Ataque à sede da revista deixou 12 mortos.


O atentado terrorista contra o jornal Charlie Hebdo, nesta quarta-feira, em Paris, é um golpe contra a imprensa crítica, mas também contra a luta dos trabalhadores. Em particular, dos povos árabes e de outros povos oprimidos.
 
Muitas vezes, vemos como atentados terroristas servem aos interesses imperialistas. O ataque da Al Qaeda às Torres Gêmeas em 2001 facilitou toda a ofensiva belicista de Bush com a invasão do Afeganistão e do Iraque. Um ataque violento contra o movimento de massas em todo o mundo foi realizado em nome de uma suposta guerra ao terror.
 
O atentado de Paris tem um conteúdo semelhante. Vai fortalecer a ultradireita francesa e europeia. Vai facilitar respostas repressivas que já estavam em curso em toda Europa contra os imigrantes, assim como no Oriente Médio e Norte da África.
 
No momento em que escrevemos essa nota nenhum grupo ainda assumiu a autoria dessa barbaridade. Mas sabemos quem pagará essa conta: o conjunto do movimento de massas, a começar por sua parcela mais explorada e oprimida, os trabalhadores imigrantes.
 
Defendemos a liberdade de imprensa e de crítica. O jornal Charlie Hebdo reunia alguns dos cartunistas de maior expressão e tradição internacional, como George Wolinski, também morto nesse ataque. Esse atentado teve enorme repercussão entre os cartunistas que se dedicam à crítica política em todo o mundo. Esse atentado não é em defesa de uma causa justa com uma metodologia equivocada. É uma expressão dos que defendem um autoritarismo com métodos fascistas.
 
Isso não nos faz ter acordo com todas as posições do jornal. Temos e defendemos o respeito pelos que acreditam no islã assim como pelos cristãos, protestantes ou qualquer outra crença religiosa. Tampouco desconhecemos a xenofobia e a discriminação que sofrem os imigrantes, islâmicos em particular, na França e na Europa. Mas, em que pese tudo isso, e mesmo com possíveis discordâncias com uma ou outra posição ou charge do jornal, não podemos deixar de repudiar veementemente esse atentado, que só fortalece a ultradireita islamofóbica.
 
Chamamos todas as organizações dos trabalhadores e de esquerda a repudiar esse atentado. Não podemos deixar que sejam a direita e o imperialismo que assumam essa postura. Repudiemos esse atentado e nos preparemos para resistir aos ataques que virão.
 
Para terminar, queremos nos solidarizar com os jornalistas atacados, seus familiares e amigos.