Reforma da Previdência: com mensalão não vale!

O relatório final da CPI dos Correios assume a existência do mensalão e rejeita a tese governista de que tudo se resumia a crimes eleitorais, com valores não declarados de campanha. Isso não significa que alguém será punido, mas o reconhecimento é um forte argumento a mais para que os movimentos sociais e entidades sindicais reforcem a luta pela anulação imediata da reforma da Previdência. A Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas) já iniciou uma campanha neste sentido, com cartazes e abaixo-assinados.

A comprovação da existência do mensalão significa que as reformas e ataques foram aprovados pelo Congresso nos últimos anos baseados em compra descarada de votos dos parlamentares. Questionar a validade disso e exigir a reversão dos ataques é uma tarefa das entidades de luta e independe da pizzaria que rola no Congresso.

Para obter a anulação da reforma da Previdência de fato é preciso uma ampla mobilização e uma extensa arrecadação de assinaturas para o abaixo-assinado impulsionado pela Conlutas. A coordenação também entrou com uma representação no Ministério Público pedindo a anulação da reforma, argumentando que ela foi aprovada através de compra de deputados.