Quem diria: o PCO junto com o PMDB

O PCO (Partido da Causa Operária) sempre tentou ocupar o espaço da ultra-esquerda no país. Trata-se de um partido pequeno, em geral de características sectárias. Mas no último período deu um giro oportunista impressionante. Alguns exemplos ilustram esse giro.

Em Contagem, distrito industrial mais importante de Minas, o PCO está coligado com o PMDB, que tem como candidata à prefeita a esposa de Newton Cardoso, um político burguês muito conhecido por corrupção, uma espécie de Maluf mineiro. E como se, em São Paulo, o PCO estivesse coligado com Quércia.

Em Recife, o apoio é ao PHS (Partido Humanista da Solidariedade), que tem como candidato a prefeito o “Conde do Brega” (assim chamado por ser um cantor brega).
Esse partido burguês é uma legenda de aluguel a serviço do governador do estado, Jarbas Vasconcelos, e em seu programa constam as seguintes pérolas:

Sobre a propriedade privada: “O PHS considera a iniciativa privada uma das peças fundamentais para o desenvolvimento do País”.

Sobre o capital estrangeiro: “O potencial econômico do Brasil é muito superior àquele que a nossa atual capacidade empresarial é capaz de converter em riquezas efetivas (…). Nesse sentido, o PHS aceita as entidades estrangeiras a participar do esforço nacional de superação da fome e da miséria (…) o ingresso do capital de risco oriundo do exterior deve ser estimulado.”

Post author
Publication Date