Quatro militantes do Quilombo Urbano são presos durante manifestação em São Luís

Imagem reprodução

Militantes do Quilombo Urbano do Maranhão, movimento de hip hop ligado à CSP-Conlutas, foram presos na manhã desta segunda-feira (6) durante manifestação por saneamento básico em um bairro da periferia de São Luís (MA), conhecido como comunidade João Paulo.

Os ativistas Diormar Vasconcelos, Preto Rubi, Preta Lu e Marília Durans foram encaminhados à delegacia, após manifestação em que participavam ser brutalmente reprimida pela polícia.

O dirigente do Quilombo Raça e Classe do Maranhão e também membro da Secretaria Executiva Estadual, Wagner Silva, e o membro da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas Saulo Arcageli chegaram a pouco na delegacia e já acionaram a Comissão de Direitos Humanos para acompanhar o caso.  “Estamos aqui na delegacia ainda nos inteirando sobre o que de fato aconteceu com os companheiros, acionamos os órgãos de direitos humanos competentes e vamos prestar todo apoio para os manifestantes”, salientou Wagner.

Segundo informação de Wagner, os moradores da rua do Vale, na comunidade de João Paulo tem se manifestado contra um córrego a céu aberto na região. Após muitas manifestações, essa comunidade conseguiu um termo de ajustamento de conduta, em que a prefeitura se comprometia em solucionar o problema. No entanto, nada foi feito e os moradores voltaram a se manifestar e foram fortemente reprimidos.

A ativista e também integrante o Quilombo Raça e Classe Claudia Durans repudiou a ação truculenta da polícia. “É assim que Edvaldo Holanda Júnior  [prefeito de São Luís filiado ao PDT] e Jefferson Portela [secretário de segurança pública] tratam os movimentos sociais?”, salientou em sua rede social exigindo imediata liberação dos presos e dialogo para resolver o problema.

A CSP-Conlutas repudia a prisão dos ativistas e exige liberdade imediata dos companheiros.