Manifestação contra o PL 490 e em defesa da Terra Indígena Jaraguá

Tomamos conhecimento do Chamado público aos camaradas do MTST assinado por 17 organizações e movimentos representativos dos povos indígenas que se constituíram na Frente Indígena pelo Fora Bolsonaro na Grande São Paulo.

Neste documento, a Frente Indígena reivindica sua participação nas reuniões preparatórias dos atos em São Paulo, direito à fala nos caminhões de som, uma localização com visibilidade nas manifestações, e o fim de ações autoritárias entre as organizações e movimentos participantes.

Concordamos com estas reivindicações pelos mesmos motivos mencionados no documento:

– A necessidade de constituir relações fraternais para garantir a unidade de ação pelo Fora Bolsonaro e demais reivindicações operárias e populares;
– O genocídio promovido pelos colonizadores e poderosos contra os povos indígenas há 521 anos;
– A luta contra o PL 490 e o marco temporal que visa eliminar as poucas conquistas dos povos indígenas.

Seria importante que o MTST venha a público responder as críticas feitas. Rejeitamos o método de agressões para dirimir qualquer divergência dentro do movimento operário e popular. Ao contrário, apostamos na democracia operária para debater nossas divergências e fortalecer a necessária unidade de ação contra o genocídio em curso no Brasil.

Também nos colocamos à disposição para discutir democraticamente os meios para garantir estas e outras reivindicações democráticas da Frente Indígena e de outros setores operários e populares para avançarmos na luta contra Bolsonaro e Mourão.

– Paz entre nós, guerra aos senhores!
– Fora Bolsonaro e Mourão!
– Comida no prato e vacina no braço!
– Pela organização de uma Greve Geral Sanitária para derrubar o governo e garantir as reivindicações!
– Por um governo dos trabalhadores e trabalhadoras e do povo pobre!