Perdemos o nosso filiado Raimundo Rogerio, que teve um agravamento de suas doenças crônicas e um processo de infecção, que levou a seu falecimento nesse dia 13 de março em Aracaju, Sergipe. O enterro ocorreu nesse dia 14, no povoado Carrapicho na cidade de Santana de São Francisco/SE.

Apesar das doenças crônicas, Raimundo vinha militando, sendo inclusive parte da vitoriosa luta pelo auxílio moradia em meados de 2020, onde o Luta Popular e Raimundo, que era um de seus coordenadores, tiveram papel decisivo.

Ficamos bastante abatidos com a notícia do seu falecimento, pois tínhamos muita estima pelo camarada. Também nos solidarizamos com todos os familiares de Raimundo e desejamos força para superar este momento difícil.

Para aliviar um pouco a dor da perda, pudemos contar com o apoio dos nossos irmãos de classe, que através de muita solidariedade, foi garantido o necessário para a família realizar o enterro de nosso camarada, que devido à pandemia, não teve direito ao velório.

Como Raimundo, muitos dos trabalhadores mais pobres da classe trabalhadora não terão condições de garantir o funeral, sem velório, de seus familiares.

A morte causada pela política genocida do presidente Bolsonaro e as medidas muito parciais de governos e prefeitos, não podem recair sobre mais um fardo para carregarmos.

O Estado tem o dever de garantir o sepultamento de todos os que não têm condições de pagar. Porque, para além da dor da perda, tem a preocupação de não ter dinheiro para sepultar. Isso é absurdo. O Estado tem que enterrar os seus mortos!

Perdemos um camarada, mas seu exemplo de luta, e esta solidariedade ativa de nossa classe, nos dá forca para serguirmos o sonho de Raimundo por um mundo igualitário.

Raimundo, presente!

Até o socialismo, sempre!

Aracaju, 14 de março de 2021
PSTU Sergipe