PSTU marca presença no I Acampamento do Luta Popular do Piauí

Foto Luta Popular

Militante realizou atividade de apresentação do partido aos ativistas presentes no evento

Durante os dias 3 e 4 de fevereiro, o PSTU marcou presença no “I Acampamento do Luta Popular do Piauí”. O evento reuniu cerca de 60 ativistas: mulheres, operários da construção civil, trabalhadores desempregados, remanescentes indígenas e quilombolas.

Foi travado um rico debate sobre a dura realidade enfrentada pela classe trabalhadora em nosso país e sobre a necessidade de fortalecer a luta pelo direito à cidade e pela reparação imediata dos povos negros e indígenas.

A invasão do território brasileiro pela classe dominante europeia há cerca de 5 séculos condenou os povos indígenas e africanos à marginalidade e à miséria em nosso país. Quando não eram exterminados na luta em defesa de sua existência no território brasileiro, eram escravizados nas grandes fazendas ou minas do Brasil.

Atualmente, é este setor da classe que tem amargado de forma mais severa os efeitos da crise econômica. Quantidades cada vez maiores de trabalhadores, em sua maioria negros, têm sido jogadas no desemprego, no subemprego ou na informalidade. Sendo forçados em boa parte dos casos a retomar a luta pelo território em busca de um lugar para morar para fugir da carestia do aluguel.

O “I Acampamento do Luta Popular do Piauí” cumpriu um importante papel no fortalecimento do processo de reorganização das periferias do Brasil. Reuniu trabalhadores de quatro ocupações do Piauí, além contar com a presença de estudantes, professores e trabalhadores dos Correios em solidariedade à luta pelo direito à cidade. Assim, o acampamento fortaleceu a consolidação de uma alternativa de luta para os sem teto, negros e indígenas.

PSTU
A militância do partido participou ativamente na construção do acampamento, pois acreditarmos nessa alternativa. Em todo o país temos atuado organizando as massas que estão mobilizadas nas favelas e comunidades empobrecidas para resistir aos ataques dos governos e patrões e construir nas lutas outra estrutura de sociedade. No evento, realizamos uma atividade de apresentação do partido aos ativistas presentes, debatemos a necessidade de construir uma alternativa política, um partido socialista e revolucionário.

É preciso fortalecermos a construção de um partido socialista e revolucionário, pois somente por meio de uma revolução operária e socialista conseguiremos resolver o problema da concentração de terras nas mãos de poucos e garantir a reparação dos povos negros e indígenas.