Protesto do 8 de março em Belém exige creches públicas

Manifestação unificada em Belém

O Movimento Mulheres em Luta, da CSP-Conlutas no Pará participou de um ato unitário realizado na manhã desse 8 de março para reivindicar creches públicas e casas abrigo da Prefeitura de Belém e do Governo do Estado, PTB e PSDB, respectivamente. A manifestação percorreu as principais vias de Belém e seguiu até a sede da Prefeitura, onde uma comissão formada por entidades estudantis, sindicais e MML protocolou um documento solicitando uma audiência pública com o prefeito Duciomar Costa para cobrar a abertura imediata de creches públicas no município.

A coluna do Mulheres em Luta entou palavras de ordem de exigência ao governo Dilma, cobrando a ampliação da Lei Maria da Penha e o maior investimento nas áreas sociais, que possibilitem acesso à saúde pública de qualidade, à educação, à moradia, entre outras demandas que são urgentes para as trabalhadoras brasileiras. O protesto seguiu ao som de “Não, não, não! Maria da Penha tem que ter ampliação!” e “Oh, oh, oh, Dilma, eu quero ver abrigo e creche acontecer!”. A exigência ao governo federal foi a diferenciação fundamental entre o MML e os movimentos policlassistas como a Marcha Mundial de Mulheres (PT), que atuou de forma completamente despolitizada durante toda a marcha.

Josy Quemel, ativista do MML, afirmou em sua intervenção que “é inaceitável que milhares de mulheres continuem morrendo todos os anos vítimas da violência doméstica por conta de um Estado que é omisso diante do machismo”. Completou denunciando o papel nefasto que Dilma vem cumprindo, de privilégio aos banqueiros e empresas, enquanto a classe trabalhadora segue padecendo de toda sorte de opressão e exploração. Bianca Holanda, da Anel Pai D’égua, ressaltou que é necessário combater o machismo nas universidade e que para isso uma das principais exigências às reitorias deve ser a construção de creches universitárias, visto o alto índice de evasão das estudantes devido a maternidade.

Marcela Azevedo, que falou pela Secretaria de Mulheres do PSTU, fez uma saudação à luta internacional das mulheres e afirmou que “somente com o fim da sociedade de classes, a qual se sustenta sobre a exploração de homens e mulheres, usando as diferenças de gênero, raça e orientação sexual para aumentar a obtenção de lucros, é possível acabar de vez com o machismo”.

Lançamento da Campanha Estadual por Creches Públicas
À tarde, o MML participou do debate “Acesso e permanência para mulheres universitárias na UFPA”, durante a programação da Calourada UFPA 2012, realizado em parceria com o DCE – UFPA e Sindtifes-PA. A atividade marcou o lançamento oficial da Campanha Estadual por Creches Públicas, Gratuitas, de Qualidade e em tempo integral para as trabalhadoras e estudantes paraenses. Ao final da discussão foi encaminhado que o DCE exigirá uma audiência com a reitoria da UFPA para pautar o tema. A luta por creches apenas começou!