Presidente do PP paga a conta da pizza de Brant e Luizinho

Pedro Corrêa é cassado, depois do escândalo da absolvição dos dois deputados de uma só vezNo dia 8, um verdadeiro rodízio de pizza absolveu dois parlamentares numa tacada só. Mesmo que a população não esteja acompanhando os escândalos com a mesma atenção de antes, um acordão descarado desses não poderia passar em branco. O resultado foi que as comemorações de Roberto Brant e Professor Luizinho regadas a champanhe pegaram muito mal para uma Câmara que está tentando recuperar sua reputação após o desgaste do ano passado.

Com isso, uma semana depois, a Câmara resolveu mostrar serviço. Seguiu a recomendação do Conselho de Ética e cassou o presidente do PP, o deputado Pedro Corrêa (PE). Para não perder o costume, os picaretas não resistiram e assaram meia pizza: absolveram Pedro Henry (MT), ex-líder do PP.

Henry foi acusado por Roberto Jefferson de tentar cooptar dois deputados do PTB oferecendo a eles a famosa mesada. Já seu colega Corrêa é o presidente do PP, partido acusado de receber R$ 4,1 milhões em mensalões.

O rodízio até agora somou cinco mensaleiros absolvidos: Pedro Henry (PP-MT), Prof. Luizinho (PT-SP), Roberto Brant (PFL-MG), Romeu Queiroz (PTB-MG) e Sandro Mabel (PL-GO). Os punidos se limitam a Corrêa, Roberto Jefferson (PTB-RJ) e José Dirceu (PT-SP). Quatro parlamentares renunciaram no auge do escândalo para fugir da cassação: Valdemar Costa Neto (PL-SP), Carlos Rodrigues (PL-RJ), José Borba (PMDB-PR) e Paulo Rocha (PT-PA). Ainda há sete parlamentares aguardando julgamento e torcendo por uma fatia do acordão.

Convocações
A cassação de Corrêa não foi a única medida para tentar amenizar a imagem da farra da semana anterior. A CPI dos Bingos também deu uma apertada em suas ações e convocou para depor o caseiro Francenildo dos Santos Costa e o ex-tesoureiro petista Delúbio Soares. Além disso, marcou acareação entre o ex-petista Paulo de Tarso Venceslau e o presidente do Sebrae, Paulo Okamotto, grande amigo de Lula. Venceslau acusa Okamotto de comandar um esquema de corrupção em prefeituras petistas no início da década de 90.

Apesar das convocações, há uma preocupação para que o governo não seja diretamente atingido, pois um requerimento que convocaria Okamotto para depor novamente foi rejeitado em votação. Um novo depoimento faria uma significativa diferença pois na acareação ele falará apenas das acusações de Venceslau e, num depoimento, Okamotto seria questionado sobre o pagamento da dívida de Lula com o PT. Da mesma forma, foi adiada a votação do pedido de quebra dos sigilos de uma empresa da qual Okamotto é sócio.

Francenildo, que deve depor neste dia 16, foi caseiro da casa alugada em Brasília por ex-assessores do ministro Antonio Palocci. No depoimento, o caseiro poderá confirmar a declaração de que o imóvel não apenas era freqüentado pelo ministro, o que contraria o depoimento de Palocci à CPI dos Bingos, como também era o local em que os mensalões eram distribuídos. O caseiro também declarou em entrevista que festas com garotas de programa eram realizadas na casa.

Até as 13 horas do dia 16, o depoimento de Francenildo, marcado para as 11 horas, ainda não havia começado. Numa clara tentativa de abafar o caso e salvar a imagem de Palocci, o senador Tião Viana (PT-AC) pediu ao Supremo Tribunal Federal para suspender, por meio de uma liminar, o depoimento do caseiro. Ele alegou uma “ameaça clara de invasão de privacidade do ministro“.

Mas a tentativa de abafa petista não se limitou ao depoimento do caseiro. O deputado petista Henrique Fontana (RS), informou que neste dia 16 o PT ajuizou também uma ação no STF pedindo o encerramento da CPI dos Bingos, do Senado, argumentando para isso que a Comissão se tornou um palanque da oposição. “Essa CPI foi muito além do fim do mundo. É irresponsável, inconstitucional e ilegal”, declarou o petista.

Nada a declarar
Não é difícil que o STF imponha a finalização da CPI, até porque o Supremo tem sido um grande aliado da pizza, garantindo hábeas corpus para que depoentes fiquem calados. Exemplo disso foi o ridículo depoimento de Duda Mendonça à CPI dos Correios, que apenas retrocedeu o que já havia sido dito. Protegido por habeas corpus, o marqueteiro do presidente, convocado para falar sobre suas contas no exterior, recusou-se a responder a todas as perguntas.

Em seu primeiro depoimento, Duda havia confessado que o pagamento por seus serviços nas campanhas petistas havia sido feito através de uma conta no exterior, com verbas do valerioduto. A confissão não foi confirmada no novo depoimento.

Frente Classista e Socialista
Há um acordo entre governo e oposição para que a imensa maioria dos parlamentares envolvidos nos escândalos do ano passado se salve. Há um esforço dos parlamentares da oposição burguesa para que Palocci e Lula sejam apenas desgastados, mas que não haja grandes abalos na economia e no governo. O rodízio deve continuar, pois sequer a meia dúzia de cassações esperadas no ano passado deve se concretizar. Tudo caminha para as urnas.

Por isso, diante de dois lados igualmente burgueses, corruptos e neoliberais da mesma moeda (PT e PSDB), o PSTU chama a formação de uma frente de esquerda, classista e socialista, que unifique nas eleições e nas lutas ativistas do PSTU, P-SOL, PCB, Consulta Popular e MST.