Prefeitura de BH ataca direito de greve dos Trabalhadores em Educação

Trabalhadores respondem com intensificação do movimento grevistaNa última terça-feira, 30 de março, a Justiça concedeu liminar a pedido da Prefeitura de Belo Horizonte (MG) determinando a volta ao trabalho dos professores da rede municipal a partir de segunda-feira, 5 de abril. Caso a decisão não seja cumprida, o desembargador Eduardo Andrade determinou a aplicação de multa de R$ 50 mil por dia ao sindicato da categoria (Sindrede-BH).

A decisão do comando de greve é pela continuidade do movimento. A proposta será avaliada em assembleia nesta segunda.

Tanto a atitude da Prefeitura quanto a liminar concedida pela Justiça são um grave ataque ao direito de greve e ferem as decisões democráticas tomadas pelos trabalhadores em suas assembleias, que vêm reunindo mais de 2.500 pessoas.

Esta tentativa de criminalização dos movimentos sociais vem se tornando regra, tanto por parte da prefeitura quanto do governo de Minas. Recentemente, o governo pediu a ilegalidade da greve dos rodoviários, que foram obrigados a retornar ao trabalho sob pena de multa de R$ 500 mil por dia ao sindicato. Esta semana foi concedida liminar pelo mesmo desembargador, Eduardo Andrade, determinando a volta ao trabalho dos médicos do IPSEMG e dos policiais civis que estavam em greve.

A greve dos trabalhadores em educação é a mais forte desde 2001, com 75% de paralisação e muita disposição de luta. As principais reinvindicações são reajuste de 22,41%, isonomia para a educação infantil e melhores condições de trabalho, já que os trabalhadores vêm sendo pressionados e coagidos pela prefeitura.

A resposta dos trabalhadores será a intensificação do movimento grevista na próxima semana. Além do Sindrede, devem parar os demais funcionários da prefeitura, ligados ao Sindbel, e será realizada uma assembleia unificada em frente à prefeitura no dia 7. Além disso, haverá paralisação dos professores estaduais, ligados ao Sindute, no dia 8.

*Vanessa Portugal é diretora do Sindrede-BH e pré-candidata ao governo de Minas pelo PSTU

Calendário:
5/4 – Assembleia Sindrede, 14h, Colégio Marconi
7/4 – Assembleia Unificada de Greve, em frente à prefeitura
8/4 – Assembleia Estadual Trabalhadores em educação

Proteste contra a prefeitura e a decisão da Justiça. Envie mensagem para:
TJ MG – faleconosco@tjmg.jus.br
Prefeitura de BH

LEIA TAMBÉM:

  • TJ suspende greve de professores de BH