Prefeitura de Belford Roxo (RJ) corta salário de militante do PSTU

Na Baixada Fluminense, Zezé, candidata do PSTU nas últimas eleições, não recebe salário há três mesesDesde o início das últimas eleições municipais, a então candidata do PSTU a prefeita de Belford Roxo (RJ), a professora Zezé, vem sendo vítima de perseguição política. A Prefeitura da cidade (PMDB) se recusa a pagar seu salário e ainda ameça exonerá-la.

Zezé está à frente de um dos sindicatos mais combativos do estado, o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe-RJ) e vem construindo junto com os trabalhadores em educação de Belford Roxo a resistência e a luta contra a privatização da educação pública.

Além disso, é uma militante socialista que defende a luta dos trabalhadores e profundas transformações na sociedade. Ela aproveitou as eleições para denunciar a prefeitura que ataca a educação e a saúde públicas e o povo negro e pobre da cidade. Por isto, é perseguida e atacada pela prefeitura.

O corte do salário da professora Zezé representa um ataque a todos os que lutam contra os governos e patrões e encontra-se no marco da ofensiva contra trabalhadores, sindicatos, movimentos sociais e partidos revolucionários, nas várias regiões do país.

Precisamos repudiar mais esse ataque. Pedimos a solidariedade de todas as entidades e movimentos dos trabalhadores para que enviem e-mails de repúdio e exigindo o pagamento à Zezé imediatamente para [email protected], com cópia para [email protected] e [email protected]

Os trabalhadores da baixada seguirão lutando e não se intimidarão.