Pré-candidatura de Zé Maria será lançada em BH no dia 11

Vanessa Portugal será pré-candidata a governadora
Arquivo PSTU

No dia 11 de dezembro, é a vez do PSTU de Belo Horizonte lançar a pré-candidatura de Zé Maria. O ato acontece a partir das 19h, no Sindrede-BH, que fica na Av. Amazonas, 491, 10º andar, Centro. Na ocasião, também será lançada a pré-candidatura de Vanessa Portugal ao governo do Estado de Minas.

Nascida em Boa Esperança, no sul de Minas, Vanessa se formou em Biologia pela Universidade Federal de Minas Gerais e hoje trabalha como professora das redes municipais de ensino de Belo Horizonte e Betim. É sindicalista do Sindrede (Sindicato dos professores da rede municipal). Ingressou no PSTU em 1997 e concorreu à Prefeitura de BH em 2004 e 2006.

A pré-candidatura de Zé Maria foi lançada nacionalmente em São Paulo, no dia 13 de novembro. Depois, ocorreram atos regionais no Rio de Janeiro, em Porto Alegre, Belém, Fortaleza e Recife.

Nos atos, o partido tem feito uma avaliação dos oito anos do governo Lula, voltados para as grandes empresas, bancos e multinacionais. “O governo deu R$ 131 bilhões em repasses ao agronegócio em 2008, para as transnacionais. Isso é 10 vezes mais do que gasta com sua principal vitrine, o programa Fome Zero”, denunciou Zé Maria. O programa é uma das principais bandeiras do governo, mas seu orçamento para 2009 não deve ultrapassar os R$ 11 bilhões.

“Imaginem de quanto poderia ser o salário mínimo, se deixássemos de pagar os juros da dívida externa. A quanto poderia ir a aposentadoria, quanto poderíamos investir em educação e saúde. É possível ter salário, emprego e direitos, mas para isso é preciso romper com o imperialismo. É preciso uma saída socialista dos trabalhadores”, defendeu Zé Maria.

Além do governo, Zé Maria também denunciou a oposição de direita, PSDB-DEM, “cujo programa foi roubado por Lula”. Para o PSTU, a candidatura de Marina Silva também representa a continuidade deste modelo. Defende a ecologia, mas enquanto ministra, ocorreram os dois maiores retrocessos das últimas décadas: a liberação dos transgênicos e a transposição do São Francisco. “O desenvolvimento sustentável que ela propõe é uma ilusão, pois esbarra no lucro das empresas e multinacionais. É o mesmo que dizia Lula. Mas não há como defender o meio ambiente sem enfrentar empresas como a Vale. Sem lutar contra o capitalismo”, afirma.

O PSTU continua defendendo uma frente socialista, mesmo depois de o PSOL ter iniciado negociações com o PV e suas principais figuras públicas, como Heloísa Helena, terem defendido o apoio à Marina. Os atos têm sido marcados pela presença de militantes e dirigentes do PSOL, que discursam criticando a aliança com o PV e defendem a frente.

Zé Maria tem convocado a unidade em torno a uma alternativa dos trabalhadores nas eleições: “Marina não representa a esquerda socialista. Apoiar sua candidatura é um erro. Mas, com frente ou sem frente, haverá uma candidatura socialista dos trabalhadores nestas eleições”.