Por uma Frente de Esquerda em Maceió PSTU-PSOL-PCB, com Heloísa Helena prefeita

Leia nota do PSTU-AL chamanda a formação de uma frente de esquerda para as eleições de 2012Nas últimas duas gestões municipais vimos nossa cidade e nosso estado serem mais uma vez repartidos entre as elites alagoanas. Os grandes amigos Cícero Almeida (atualmente, PP) e Téo Vilela (PSDB), com apoio da Presidenta Dilma (PT), seguiram engordando as contas bancárias dos usineiros e grandes empresários do estado ao passo que deram continuidade ao projeto de destruição da saúde, da educação, do transporte, e da segurança pública.

Vivemos na terceira cidade mais violenta do mundo, com uma taxa de 135.26 homicídios para cada 100 mil habitantes, a capital do estado em que mais se mata jovens no Brasil. A juventude da periferia de Maceió se encontra permanentemente nas mãos do tráfico e sem nenhum direito básico assegurado com qualidade. Temos um dos piores sistemas de transporte público do país, com uma passagem caríssima. Apesar de o prefeito se dizer o “prefeito do povo”, está mais do que provado que não é o povo que decide sobre o preço da passagem de ônibus, sobre quantas escolas e postos de saúde serão construídos, ou sobre qual será o salário dos professores e dos médicos.

A alternativa colocada pelo PT e pelo PDT de Ronaldo Lessa também não é viável. Lessa já esteve no poder e seguiu perdoando as dívidas dos usineiros e governando para os ricos e poderosos. Não conseguiu mudar o quadro da educação e do transporte público, nem conter o avanço da violência. Lessa é mais um aliado das elites alagoanas, não está com os trabalhadores.

Para as eleições municipais de 2012 precisamos apresentar uma alternativa da classe trabalhadora, construída e financiada pelos maceioenses que enfrentam os ônibus lotados, as filas no SUS e a insegurança em seus locais de moradia. Pelas mulheres, negros e homossexuais, que são submetidas(os) diariamente, e de forma mais intensa, à opressão, discriminação e violência em suas mais diversas formas. Estas candidaturas precisam ser independentes, sem dinheiro da corrupção, nem de empresários ou usineiros.

É neste sentido que chamamos a construção de uma Frente Eleitoral de Esquerda com PSTU, PSOL e PCB, pois são estes os partidos que representam a classe trabalhadora em todo o Brasil, e por isso precisam estar juntos, sem a presença de partidos burgueses. Esta aliança precisa se dar em torno de um programa classista e socialista, com candidaturas auto-financiadas, sem dinheiro de patrões. Precisa ser uma candidatura que sirva de palanque a todos que não têm voz na sociedade, movimentos sociais, sindicatos, comitês de greve, movimentos de combate às opressões e toda forma de organização e manifestação vindos de nossa classe.

Para nós do PSTU o melhor nome para encabeçar esta frente é o da companheira Heloísa Helena, que é uma figura construída historicamente pelo suor da militância de milhares de companheiros no país inteiro, e por isso, precisa se colocar a serviço dos trabalhadores e dos movimentos sociais, utilizando-se da referência que adquiriu através de uma vida de muitas lutas, como a marcante luta contra a reforma da previdência em 2003 e quando marchou junta à população alagoana na luta contra o Governador Suruagy no 17 de julho de 1997. A candidatura de Heloísa Helena será capaz de alavancar e fortalecer o programa e as candidaturas da Frente de Esquerda em todos os setores de nossa cidade. Um nome que é capaz de enfrentar em pé de igualdade as candidaturas dos usineiros e seus gigantescos aparatos midiáticos.

Chamamos o PSOL alagoano a rever a posição de seu partido em seu último congresso nacional, que decidiu pela ampliação do arco de alianças eleitorais, abarcando partidos burgueses como o PV e o PDT. Isto aqui em Alagoas seria na prática construir uma coligação com partidos que estiveram ao lado de nomes como João Lyra e Renan Calheiros, e para nós isto é inaceitável. Reafirmamos: a existência de uma candidatura de esquerda e socialista, independente das elites e sem partidos burgueses é condição fundamental para o fortalecimento de uma alternativa verdadeiramente classista e socialista que seja a voz dos trabalhadores e do povo pobre de Maceió!

Direção Estadual do PSTU/AL

Maceió, 26 de janeiro de 2012

Acesse o blog do PSTU de Alagoas