Polícia cerca Câmara de Brasília para reprimir estudantes

A Polícia Militar e o Bope do Distrito Federal estão na Câmara Legislativa de Brasília para cumprir a liminar de reintegração de posse. Estudantes ocupam a Câmara para exigir a saída do governador José Arruda (DEM), envolvido num novo escândalo de mensalão.

A reintegração foi pedida pelo presidente em exercício da Casa, Cabo Patrício, do PT, que já teve o seu mensalão em 2005. Agora, coloca-se ao lado do DEM contra os estudantes que repudiam a corrupção.

Os estudantes, neste momento, estão em assembleia para decidir sobre os próximos passos. As negociações com a PM já iniciaram.

Provocadores pró-Arruda
Durante a manhã, os estudantes assistiram às votações em plenário sobre o processo de impeachment de Arruda. Manifestantes a favor do governador corrupto também compareceram. Eles invadiram o plenário provocando os estudantes e chamando para a briga, segundo reportagem da Record News.

Os pró-Arruda também quebraram um caixão, que os manifestantes usavam como símbolo para a saída de Arruda. Estes apoiadores do governador admitiram que são funcionários das administrações regionais. Há suspeitas de que eles tenham sido levados à Câmara em ônibus fretados.

Há pouco, a PM negociou a saída destas pessoas, que devem deixar o local nos próximos minutos.

Fora Arruda já!
É preciso fortalecer o movimento “Fora Arruda”, que tem de tomar as ruas e derrubar os corruptos com a força da mobilização de trabalhadores e trabalhadoras do DF.

O PSTU, junto com outras organizações, está construindo um grande ato na próxima quarta-feira, 9 de dezembro, às 10h, na Praça do Buriti. Quanto mais trabalhadores forem às ruas, mais o governador e sua quadrilha serão empurrados para a cova que eles mesmos cavaram.