Plenária nacional dos trabalhadores dos Correios repudia acordo bianual

Os trabalhadores dos Correios vivem uma reorganização histórica na categoria. A grande traição desferida pela direção majoritária da Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telégrafos (Fentect), Articulação Sindical e PCdoB/CTB, provocou uma revolta na base da categoria, principalmente sobre o fato de o acordo passar a ser de dois anos. Esta traição se deu poucos meses depois da realização do 10º congresso da Fentect, realizado em junho de 2009, que elegeu esta direção.

Esta traição fez com que os sindicatos e a maioria do comando de negociação da Fentect, e a minoria da direção da federação, que rejeitaram este acordo bianual, convocassem a 34º plenária nacional de acordo com o estatuto da federação. A mesma foi realizada nos dias 24 e 25 de outubro em São Paulo, com a presença de 90 delegados e 17 observadores. Eles representavam os sindicatos e oposições de AL, AM, CAS, CE, DF, ES, GO, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RR, RS, SC, SE, SJO, SP, TO e VP.

Entre delegados, observadores e convidados, a plenária teve 130 companheiros e companheiras. Todos os presentes demonstraram muita disposição em dar continuidade às lutas e a dar um basta na burocracia e na traição das correntes majoritárias na Fentect (ArtSind, MSB parte da ASS ligadas ao PT/CUT e a CTB/PCdoB).

Durante os dois dias de discussões, muitas propostas foram debatidas e deliberadas sobre campanhas salarial, PCCS, PLR, luta contra a privatização dos Correios, entre outros temas. Agora, as resoluções da plenária serão aplicadas pela Comissão Nacional dos Sindicatos (CNS), composta por um membro de cada sindicato, oposições e minoria da Fentect.

VEJA AS PRINCIPAIS RESOLUÇÕES DA 34ª PLENÁRIA NACIONAL:

  • Anulação do Acordo Coletivo de Trabalho bianual: por um acordo anual!
  • Acompanhamentos Jurídicos das ações no Ministério Público do Trabalho no Mato Grosso (a denúncia encontra-se em fase de recurso sobre a assembleia irregular que aprovou o acordo de dois anos) e em Tocantins (o Ministério Público acolheu a denúncia de assembleia irregular que aprovou o acordo de dois anos e vai apurar o caso)
  • Convocar assembleias estaduais para: a) ratificar a legitimidade da 34ª Plenária Nacional da Fentect; b) rejeitar o PCCS em sua totalidade (os dois cadernos); c) convocar um congresso extraordinário no início do primeiro semestre do próximo ano
  • Fazer campanha salarial em 2010
  • Pedir a liberação dos membros da Comissão de PCCS. Caso isso não ocorra em sua totalidade, para encaminharem os trabalhos referentes ao PCCS dos trabalhadores, os sindicatos suspenderão o repasse à Fentect e os valores passarão para custear os gastos dos membros da comissão
  • Que a PLR seja negociada pelo Comando de Negociação e não pela Comissão Permanente da Fentect
  • Realização de um ato em Brasília em data a ser definida pela a comissão
  • Campanha contra qualquer tipo de tentativa de privatizar os Correios (GTI, Correios S/A, Quebra do Monopólio, PL 3677/08 etc.)
  • Abaixo-assinado nacional contra o ACT de dois anos: por um ACT anual
  • Moção de repúdio contra as declarações do presidente Lula referente à greve de setembro
  • Não reconhecimento do ofício da ECT, CT/DIGEP-1012, sobre as horas paradas
  • Não aceitação da quinta liberação de diretor para os sindicatos conforme acordo bianual assinado
  • Criação de uma Comissão Nacional dos Sindicatos (CNS)

    *Geraldo Rodrigues é membro da minoria da direção da Fentect