Para saber mais sobre as cotas

Não são muitos os livros que abordaram a discussão racial a partir de uma perspectiva classista e/ou revolucionária. Como também, a produção em torno do tema das chamadas ações afirmativas têm estado muito “presa” à lógica da academia.
Contudo, há uma bibliografia fundamental para construirmos uma elaboração sobre o tema. Neste sentido, dois nomes fundamentais são Florestan Fernandes e Octávio Ianni, os intelectuais que, talvez, mais se preocuparam com a questão racial. Do primeiro, a obra fundamental é A integração do negro na sociedade de classes (Ática, 1978), que, ao discutir, a inserção de negros e negras na sociedade capitalista, aponta as especificidades raciais nas relações de classe. Já de Ianni, a principal referência é Raças e Classes Sociais no Brasil (Brasiliense, 1987).

No que se refere ao tema das ações afirmativas, há algumas coletâneas que, apesar de, geralmente, não fazerem o corte de classe, trazem dados e abordagens que podem auxiliar na polêmica. Organizada por Antônio Sérgio Alfredo Guimarães, Tirando a máscara: ensaios sobre o racismo no Brasil (Paz e Terra, 2000) reúne vários ensaios abordando o tema.

Aprovados: cursinhos pré-vestibular e a população negra (Selo Negro, 2002) aborda a questão racial a partir dos cursinhos voltados para negros e carentes através de 12 ensaios (um deles assinado pela Secretaria de Negras e Negros do PSTU).

Post author Wilson H. Silva, da redação
Publication Date