Para deter protestos, Congresso de Honduras suspende direitos

Manifestações aumentam e golpistas suspendem garantias individuaisO Congresso hondurenho aprovou neste dia 1° um decreto suspendendo garantias individuais dos cidadãos. Os direitos suspensos são a inviolabilidade do domicílio, de protestar pacificamente, de associação, de liberdade de trânsito pelo país e a permissão da detenção de qualquer cidadão por 24 horas.

A iniciativa partiu do governo provisório golpista como resposta ao aumento das mobilizações contra o golpe pelo país. Além disso, os golpistas tentam prevenir qualquer manifestação nas ruas motivadas pela possibilidade de regresso do presidente deposto presidente Manuel Zelaya. A Corte Suprema de Justiça também emitiu uma ordem de captura contra 25 líderes populares.

O país ainda está sob toque de recolher. No entanto, os protestos contra o golpe aumentam, especialmente no interior. Milhares de hondurenhos da Costa Norte do país protestaram na cidade de San Pedro Sula.

Em Ceiba e em Santa Bárbara, manifestantes tomaram as principais ruas da cidade. Na estrada de Quitasueño, também houve bloqueio de estradas. A cidade de Santa Cruz de Yojoa amanheceu tomada por manifestantes. As saídas de Choloma e Porto Cortês estão trancadas. Estima-se que ao todo 34 estradas estejam bloqueadas, apesar da repressão.

Já na capital Tegucigalpa, apesar da dura repressão das Forças Armadas, há informações de retomada de alguns protestos nas praças centrais. Desde a repressão de segunda-feira, as áreas próximas ao Palácio Presidencial permanecem guardadas pela polícia e pelo exército. Sindicatos de trabalhadores e centrais operárias anunciaram que se encontram paralisados todos os trabalhadores da educação, dos hospitais e das empresas estrangeiras de bananeiras.

Na cidade do Progresso, ativistas contra o golpe foram detidos pela polícia.

Há denúncias de que as Forças Armadas estão recrutando pessoas pelo país. Nos departamentos de Olancho e Paraíso foram registrados recrutamentos de menores de idade, informa o Blog Mimalapabra.

No dia 30, também foram registradas manifestações pró-golpistas. A maioria se realizou sob o slogan da paz – uma paz falsa que tenta disfarçar a violência e a manipulação.

A situação no país ainda continua tensa. Zelaya anunciou que já não regressará nesta quinta-feira, dia 2, para o país. O presidente deposto prefere aguardar até vencer o prazo dado pela OEA aos golpistas. A Organização dos Estados Americanos deu um prazo de 72 horas para que o presidente seja reimpossado. O presidente aguarda até que o imperialismo norte-americano e a OEA possam buscar algum acordo com a oposição golpista.