Painel discute limitações das políticas anti-racistas do governo

O painel “Reparações Já: o sentido da luta contra o racismo“, realizado na manhã desta quinta, foi bastante esvaziado, com a presença de cerca de 40 pessoas. Adriano Silva, do movimento Hip-hop, Wilson Nolasco, do PCdoB, e Wilson H. Silva, da secretaria Nacional de Negros e Negras do PSTU, concordaram que a luta anti-racista é também uma luta contra o sistema capitalista.

Wilson H. Silva procurou debater a luta contra o racismo sob o governo Lula. Segundo ele, a ruptura com o capitalismo e sua lógica é a única forma de combater o racismo e o governo Lula é incapaz de levar este combate adiante, já que está umbilicalmente ligado à burguesia e ao FMI. Os outros dois integrantes da mesa, cujos partidos integram o governo, defenderam a política de Lula, e destacaram a importância da criação da Secretaria pela Igualdade Racial, do governo. Wilson criticou as limitações desta secretaria, que não é capaz de apresentar políticas públicas tendo o governo submetido ao FMI e leu para o público trecho de uma reportagem onde a secretária Matilde Ribeiro afirmou que não há, hoje, condições para se adotar cotas no país.

O debate sobre a reforma da Previdência também esteve presente. Wilson relacionou o projeto apresentado com o aumento do racismo, pois a reforma de Lula não apresenta medidas para incorporar os 54 milhões de pessoas sem nenhum tipo de assistência, e que em sua imensa maioria são negras.