Oposição Bancária de São Paulo convida categoria a formar chapa nesta quinta-feira

Acontece nesta quinta-feira, dia 15, às 19h, a convenção para formação de uma chapa da Oposição Bancária para as eleições do sindicato de São PauloO processo eleitoral foi atravessado pela demissão de Dirceu Travesso, dirigente histórico da categoria e do movimento sindical em geral. Não restam dúvidas de que a atitude da direção do banco e do governo de José Serra (PSDB) tinha como objetivo enfraquecer a oposição e, conseqüentemente, a resistência dos trabalhadores aos ataques que vêm sendo aplicados.

Dirceu foi despedido apenas dez dias antes de encerrar-se o prazo para inscrição de chapas. A última eleição para a diretoria do Sindicato dos Bancários de São Paulo foi em 2005. Na época, Dirceu foi candidato a presidente pela chapa da Oposição Bancária. A demissão foi uma tentativa de impedir que Dirceu participasse do processo eleitoral.

Este ataque atinge não apenas a Oposição, mas toda a categoria bancária, ao impedir que os trabalhadores tenham a liberdade de escolher democrática e legitimamente seus representantes sindicais. Por isso, a participação de todos e todas na convenção da Oposição é fundamental para dar uma resposta ao banco e ao governo de São Paulo, de que não aceitarão esta arbitrariedade.

Um programa de defesa dos direitos
A Oposição Bancária vem atuando combativamente desde seu surgimento na categoria. Os ataques que vêm sofrendo estão relacionados diretamente ao fato de se enfrentar com quem quer que seja – governos e patrões – para defender melhores condições para os bancários e impedir que seus direitos sejam retirados.

Na convenção desta quinta-feira, a Oposição vai, novamente, defender um programa de luta que responda às necessidades da categoria. Para a Oposição, o sindicato deve defender, em primeiro lugar, os salários e os direitos dos bancários.

Também faz parte do programa da Oposição o combate ao assédio moral, às metas e às demissões, jornada de trabalho de seis, combate ao banco de horas, independência diante do governo e dos patrões, fim da alta programada, correção integral da tabela do Imposto de Renda e das aposentadorias, transparência nas contas da entidade, não-aceitação do imposto sindical, entre outros pontos. Como parte da campanha da chapa e em defesa da livre organização da categoria, ainda, deverá estar a campanha pela readmissão de Dirceu Travesso.

A Oposição Bancária de São Paulo faz parte do Movimento Nacional de Oposição Bancária (MNOB), que atua em diversos estados do país. A convenção será na avenida Lins de Vasconcelos, 3.352, em frente à estação Vila Mariana do metrô.