Operários da CSN fizeram ato na quarta-feira

Nesta quarta-feira, 13, aconteceu uma importante assembleia e ato da campanha salarial dos trabalhadores da CSN de Congonhas (MG). Foi a terceira grande manifestação em que os trabalhadores demonstraram disposição de luta e atenderam ao chamado do Sindicato Metabase Inconfidentes.

A indignação dos trabalhadores com a CSN é grande, devido aos baixos salários e às péssimas condições de trabalho, enquanto a empresa bate recordes de lucro e produtividade. “Uma empresa que lucrou R$ 14,5 bilhões, que vendeu 25,3 milhões de toneladas de minério de ferro e que tem R$ 10,2 bilhões em caixa, tem todas as condições de atender às reivindicações dos trabalhadores. Por isso, queremos aumento real de 15%; PLR de 5,6 salários; cartão alimentação de R$ 400; creche e licença maternidade de 6 meses para as trabalhadoras; piso salarial de R$ 1.200”, defende Efraim Moura, assessor do sindicato.

Luta é nacional
A atividade foi parte do calendário de lutas da CSP-Conlutas, que contou com manifestações do funcionalismo público em Brasília e com várias categorias em luta por todo o país. Para Efraim, “este é um momento especial para a nossa campanha salarial, pois várias categorias estão em luta por todo o país, como os operários da construção civil, que paralisaram as obras do PAC, como o funcionalismo federal e servidores de BH. Dilma diz que estamos no paraíso, mas a realidade é bem diferente. Mesmo com o pré-sal, o preço da gasolina está batendo os R$ 3; mesmo com a produção de grãos, o preço dos alimentos não para de subir. Por isso, essa é a hora de ir à luta em defesa de nosso salário e nossos direitos”

Unidade fortalece a campanha
Diversas entidades estiveram presentes ao ato, unificando as lutas da região dos Inconfidentes. Estiveram presentes os sindicatos de metalúrgicos de Ouro Preto e de São João Del Rei, a Oposição Metalúrgica de Ouro Branco, o DCE da Universidade federal de São João Del Rei e movimentos sociais da região. Esta unidade tem sido fundamental para fortalecer a campanha salarial e a luta dos trabalhadores mineiros.

“Hoje nós estamos pela terceira vez aqui em Congonhas, apoiando a luta de vocês. E vamos continuar aqui sempre que vocês precisarem, para mostrar para a CSN que nós estamos juntos, e que só sairemos daqui com as nossas reivindicações atendidas”, afirmou Jordano, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São João del Rei.

Abertura de negociação
A firmeza dos trabalhadores e a unidade conseguida pelo sindicato forçou a abertura de negociações por parte da empresa. Logo após a assembleia, a CSN entrou em contato com o sindicato para iniciar rodada de negociação na próxima semana. A empresa está preocupada, pois o clima entre a peãozada é de apoio ao sindicato e disposição para a luta. “Vários trabalhadores nos ligaram depois da assembleia e disseram que o clima entre os companheiros é muito bom, e que estão prontos pra parar quando o sindicato chamar. E por isso que a CSN está tão preocupada em abrir logo as negociações”, disse Sidney Roque, diretor do sindicato.