O PSTU é diferente

O PSTU não está adaptado à democracia burguesa. Em primeiro lugar, a nossa atuação é nas lutas dos trabalhadores e jovens. Um exemplo foi a realização do dia 16 de junho, em Brasília. Nas greves, mobilizações de rua, são encontradas as bandeiras vermelhas do partido. A participação nas eleições é tática e só ocorre porque as massas acreditam nelas. E mesmo assim, participamos para divulgar as mobilizações e difundir nosso programa. Não sacrificamos esses objetivos ao vale-tudo em troca dos votos. O nosso objetivo é a revolução socialista e não a eleição de um novo presidente.

Em segundo lugar, não aceitamos as contribuições financeiras de setores da burguesia. A burguesia injeta dinheiro em candidaturas e depois cobra a fatura exigindo medidas governamentais a seu favor.

Em terceiro lugar, os parlamentares eleitos por nosso Partido ganham o mesmo salário que ganhavam antes de ser eleitos, passando o restante para o Partido e o movimento. Assim, vivem nas mesmas condições sociais nas quais viviam antes.

O PSTU tem um funcionamento democrático, centralista democrático. As bases decidem a política do partido, através de congressos regulares. Na preparação dos congressos, as tendências com posições diferentes, têm os mesmos direitos da maioria da direção, para a realização de um amplo debate. Depois da discussão, o congresso vota, as tendências se dissolvem, e todos aplicam a política votada pela maioria. No congresso seguinte se faz o balanço da política aprovada e se define a nova, para o período seguinte. A direção (assim como os parlamentares que o partido tiver), tem que aplicar a política definida no congresso.

Venha para o PSTU

O PSTU não se julga dono da verdade. Cometemos erros, e não poderia ser diferente. Tampouco julgamos que somos os únicos revolucionários. Existem muitos revolucionários neste país, e apenas uma parte deles está organizada em nosso partido. Para fazer uma revolução será necessário que se construa um partido revolucionário com influência de massas, muito maior do que o PSTU. Para isso é muito importante unificar os revolucionários em torno de um programa para a revolução. Isto só será possível com o crescimento do partido e sua unificação com outras organizações revolucionárias.

Nosso partido não é uma casa pronta, mas um processo em construção. Por isso, você, ativista e lutador, venha construir um partido diferente.

Mas quem é o partido?
Bertold Brecht

Mas quem é
o partido?
Ele fica sentado
em uma casa com telefones?
Seus pensamentos
são secretos,
suas decisões
desconhecidas?
Quem é ele?

Nós somos ele.
Você, eu, vocês —
nós todos.
Ele veste sua roupa, camarada, e pensa com a sua cabeça
Onde moro é a casa dele, e quando você é atacado ele luta.

Post author
Publication Date