O povo derrota eleitoralmente o Partido Colorado

O país vive um fato de magnitude histórica. O povo infligiu uma descomunal derrota eleitoral contra o Partido Colorado (Associação Nacional Republicana – ANR). Milhares de operários, camponeses pobres, mulheres e jovens canalizaram através do voto em Lugo-PLRA (Partido Liberal Radical Autêntico), todo seu repúdio aos 61 anos de miséria, corrupção, opressão, torturas, desaparecimentos e entrega da soberania que perpetraram os colorados. O voto em Fernando Lugo foi, em grande medida, um voto contra a ANR em geral, e contra o governo de Nicanor Duarte Frutos, em particular.

A alegria das celebrações nas ruas não só exprimem uma enorme expectativa no novo governo, como também a confiança e ilusão de que a vida de milhões agora melhorará. A maioria do povo votou em Lugo porque deseja trabalho digno, terras para os camponeses pobres, fim da corrupção, saúde e educação gratuitas e a recuperação da soberania nacional.

O Partido dos Trabalhadores (PT) respeita profundamente as expectativas que o povo trabalhador tem no futuro governo Lugo-PLRA. Contudo, todo o programa e as alianças de Fernando Lugo durante sua campanha foram no sentido contrário aos anseios de mudanças das massas populares.

É impossível que Lugo realize uma reforma agrária radical ou que aplique um plano econômico a serviço dos trabalhadores tendo como coluna vertebral de seu governo o PLRA e outros setores das classes possuidoras. Não serão possíveis as mudanças que o povo deseja, enquanto Lugo continuar defendendo a propriedade privada e os investimentos dos empresários e latifundiários sojeiros. Dessa forma, tudo seguirá igual com o próximo gabinete de governo composto por ministros liberais ou, inclusive, colorados, como o próprio Lugo afirmou estar de acordo.

Nós do PT fazemos um chamado a todo o povo trabalhador, às organizações sociais e à esquerda em geral a não dar nenhuma confiança ao novo governo de Fernando Lugo-PLRA. Devemos preservar a mais completa independência política de todas as organizações de nossa classe. Devemos promover mobilizações para exigir as reivindicações de emprego, salário, condições dignas de trabalho, terra e soberania.

Foi a serviço destas lutas que apresentamos as eleições à candidatura de Julio López à presidência. Estamos orgulhosos de termos oferecido a única alternativa independente da classe trabalhadora frente aos projetos dos poderosos, além de defendermos um programa socialista revolucionário baseado nos eixos de Terra, Trabalho e Soberania.

Nenhuma confiança no governo Lugo-PLRA!
Foram os trabalhadores que derrotaram o imenso aparato eleitoral colorado. Essa mesma força deve ser utilizada agora para o fortalecimento e a independência de nossas organizações e, sobretudo, na luta por nossos direitos.

Sem dúvida estamos assistindo a mudanças históricas, onde os que sempre foram oprimidos estão sendo chamados a ser protagonistas do seu próprio destino. Sopram ventos novos que conquistam importantes triunfos do movimento social em nosso país. A condição da vitória é confiar apenas em nossas próprias forças e mobilização. Terminaram as eleições, que comece a luta.

Comitê Executivo Nacional do Partido dos Trabalhadores
Assunção, 23 de abril de 2008