Nova lista revela mais 31 sacadores das contas de Marcos Valério

Em seu depoimento à Polícia Federal no dia 1º de agosto, Simone Vasconcelos, ex-gerente administrativa da SMP&B, entregou uma lista com 31 nomes de pessoas que receberam um total de R$ 55,8 milhões das contas do publicitário Marcos Valério.

Entre os nomes estão deputados como João Paulo Cunha (PT), Paulo Rocha (PT), Romeu Queiroz (PTB), João Magno (PT), Professor Luizinho (PT), Vadão Gomes (PP), José Borba (PMDB), José Janene (PP), Josias Gomes (PT), Carlos Rodrigues (PL), Valdemar Costa Neto (PL), José Nobre Guimarães (PT), irmão de José Genoino.

Na lista também constam pagamentos ao diretório nacional do PT, através de dirigentes como Delúbio Soares, Marcelo Sereno e Silvio Pereira. Outro nome que consta na lista é o de Márcio Lacerda, secretário-executivo do ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes.

Segundo o documento, também teriam recebido dinheiro de Valério os diretórios do PT no Distrito Federal (R$ 605 mil), Rio Grande do Sul (R$ 1,2 milhão), Rio de Janeiro (R$ 2,67 milhões) e Santa Catarina (R$ 550 mil).

Duda Mendonça, seus sócios e pessoas ligadas a ele também aparecem na lista de sacadores. Duda Mendonça é o principal publicitário ligado ao governo e ao próprio presidente. Ele elaborou a campanha de Lula à presidência em 2002 e hoje possui contratos com a Secretaria de Comunicação do governo, com o Ministério da Saúde e com a Petrobras.

Simone disse que a lista foi feita pelo próprio Marcos Valério. O publicitário ainda não disse tudo o que sabe a tenta negociar com a CPI a redução de uma possível pena em troca de mais revelações sobre o esquema do mensalão. Simone Vasconcelos deve prestar novo depoimento, desta vez na CPI dos Correios no dia 3 de agosto.

Antes disso, haverá o esperado depoimento de José Dirceu no Conselho de Ética da Câmara, em 2 de agosto. Ele deporá como testemunha na representação feita contra Roberto Jefferson por quebra de decoro parlamentar, ou seja, por apresentar acusações sem provas. Mesmo não sendo um depoimento à CPI, o encontro cara-a-cara entre Roberto Jefferson e José Dirceu é ansiosamente aguardado.

Dirceu era o braço direito do presidente, era o principal nome do governo e também amigo pessoal de Lula. Se os petistas tentam, a todo custo, separar PT de governo, para afirmar que a maracutaia se restringe a crime eleitoral, Dirceu contraria tudo, pois sempre foi um dos maiores dirigentes do partido e era, ao mesmo tempo, o principal nome do governo. Não há como acusar Dirceu e livrar Lula!